11/09/2010

O Massacre de Pedrinhas: decapitação e castrações

,
Foto de Gilson Teixeira/Ascom-SSP, cabeças são recolhidas


Do Blog do Robert Lobato


Yes, nós temos o nosso “Carandiru”

Aqueles que têm pavor de “direitos humanos” acham que foi pouco o número de mortos na rebelião ocorrida no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. “Só dezoito? Deveriam morrer todos os vagabundos” , dizem alguns.


O que ocorreu no Maranhão foi uma barbárie talvez comparada apenas ao massacre do Carandiru, em 1992, em São Paulo, onde 111 presos foram barbaramente assassinados.


Contudo, engana-se que pensa que esse episódio de Pedrinhas ficará impune às entidades de defesa de direitos humanos nacionais e internacionais. O que ocorreu no Maranhão é muito grave para as autoridades locais jogarem para “debaixo do tapete”.


A violência que deixou a marca de dezoito mortos revelou não apenas o caos que é o nosso sistema prisional, mas também que o secretário Aluízio Mendes é muito forte no governo, pois em qualquer lugar do mundo teria caído do cargo.


Não que defenda a demissão do secretário, posto que somente mudança de nome não resolve. O que tem que mudar é o modelo, a concepção de segurança pública neste estado, reconhecer que no governo anterior esse setor avançou muito a partir do conceito de “segurança cidadã”. É o que penso.


Nomes das 10 vítimas do “massacre de Pedrinhas”, ontem (8):


José riçado viera pereira (20 anos)


Clayton Costa Soares (20 anos)


José Ribamar dos anjos filho (35 anos)


Nestor silva carvalho


José Antonio ribeiro


Emanuel Sousa ferreira


Regis santos silva


José Ezequiel Barbosa Miranda


Heriedes de Jesus santos (36 anos)


*Há um detento não identificado