4/07/2015

Avanço: Imperatriz tem a primeira Escola Bilíngue do Maranhão


É a partir da idéia de Boaventura de Sousa Santos de que “Temos o direito a sermos iguais quando a diferença nos inferioriza. Temos o direito a sermos diferentes quando a igualdade nos descaracteriza. As pessoas querem ser iguais, mas querem respeitadas suas diferenças. Ou seja, querem participar, mas querem também que suas diferenças sejam reconhecidas e respeitadas” que se fundamenta a proposta de uma educação que inclua a todos. Por isso; a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) mantém na rede municipal de ensino de Imperatriz, a primeira Escola Bilingue de todo o estado do Maranhão.

Inaugurada em 2012, pelo prefeito Sebastião Madeira, através da Lei Ordinária n° 1453/2012; a Escola Municipal Professor Telasco Pereira Fialho- Bilingue (Bairro São José do Egito) atende cerca de cem alunos de 1° ao 5º ano do Ensino Fundamental sob gestão da professora Maria Ivanilde Oliveira dos Santos no âmbito da rede municipal de ensino.

Falando do orgulho em ser gestora de uma escola que fortalece as ações de inclusão na educação da cidade de Imperatriz, a professora Maria Ivanilde explica que sua luta pela educação bilíngue vem de muitos anos.

“Sou gestora da primeira escola bilíngue no Maranhão e sou orgulhosa disso porque sou a fundadora da Educação de Surdos ainda em 1986 na cidade de Imperatriz. E em 2012, criamos esta escola, resultado da sensibilidade do prefeito Madeira e do professor Zesiel Ribeiro, secretário de educação. As ações desenvolvidas na nossa escola são sempre com muito carinho, trabalhamos com o surdo para que ele possa ser incluso no ensino regular com equidade na mesma condição do ouvinte. Desde quando a escola foi fundada até hoje foram muitos avanços”.

Os alunos matriculados na Escola Municipal Professor Telasco Pereira Fialho passam por um processo da aprendizagem da sua língua materna que é a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e da Língua Portuguesa como segunda língua mas, utilizando as duas línguas de maneira paralela. A equipe pedagógica conta com uma fonoaudióloga e, junto com professores é realizado um trabalho de acompanhamento das famílias. Além do desenvolvimento de projetos.

Luana Barros- ASCOM