8/14/2018

Policial sofre tentativa de latrocínio no bairro Nova Imperatriz

Edmar Lopes de Oliveira foi vítima de tentativa de latrocínio
DE O PROGRESSO
Bandido alvejou Edmar Lopes de Oliveira com um tiro nas costas

Edmar Lopes de Oliveira, 34 anos, morador de Davinópolis, mas  lotado no 23º Batalhão de Polícia Militar, com sede em Colinas do Maranhão, distante 507 km de Imperatriz, foi alvejado com um tiro nas costas no bairro Nova Imperatriz. Na verdade, Edmar Lopes sofreu uma tentativa de latrocínio quando o bandido percebeu que ele era policial militar, e levou o celular e a pistola ponto 40. A ação criminosa aconteceu na noite do último domingo (12), no bairro Nova Imperatriz. O policial não teve tempo de reagir.

As Polícias Militar e Civil estão mobilizadas na tentativa de identificar e prender o bandido e recuperar o celular e a pistola roubados. Entretanto, até o fechamento dessa edição, ainda não tinham logrado êxito.

Edmar Lopes de Oliveira é barra 17, formou-se no 18º Batalhão de Polícia Militar de Presidente Dutra (MA) e tem familiares em Davinópolis, para onde vem quando de sua folga. Ele foi levado para o Socorrão e submetido a uma intervenção cirúrgica e não corre risco de morte. Sofreu lesão no pulmão.

ROBERTO ROCHA ACIONA CNJ, CNMP E PGR PARA GARANTIR INDEPENDÊNCIA FUNCIONAL DE MAGISTRADOS E INVESTIGAR CONDUTA DE PROMOTORA DE JUSTIÇA.



O senador Roberto Rocha protocolou nesta segunda feira (13.08.), ofícios para a Procuradora Geral da República e Presidente do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), Raquel Dodge e à Presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Ministra Carmem Lúcia, solicitando-lhes o acompanhamento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral, além da averiguação da atuação da Promotora de Justiça Aline Silva Albuquerque, titular da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Codó, por atos que possam ir de encontro às diretrizes previstas em lei para os membros do Ministério Público.

Em parecer emitido no dia 17 de julho deste ano, a promotora se posicionou pela improcedência do pedido e solicitou o arquivamento da ação, que teve sentença proferida pela juíza Anelise Nogueira Reginato, da 8ª Zona Eleitoral de Coroatá, na qual a magistrada cassou os mandatos de Luís Mendes Ferreira Filho e Domingos Alberto Alves de Sousa, prefeito e vice-prefeito do município, respectivamente; e imputou inelegibilidade, por um período de oito anos, ao governador Flávio Dino e ao ex-secretário estadual de Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry, ambos do PC do B.

No ofício dirigido à Ministra Carmen Lúcia, Roberto Rocha solicitou do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que sejam tomadas providências, para garantir à magistrada Anelise Nogueira Reginato e aos demais juízes que porventura vierem a  oficiar na ação judicial eleitoral, a independência na atuação de suas atividades, bem como que sejam identificados pela Polícia Federal, por meio de abertura de inquérito, todos os detratores da juíza Anelise.

“Pretendi acionar o CNJ para assegurar a plena autonomia e independência da magistrada e de todos os juízes que venham a atuar nessa ação, para garantir o pleno exercício de suas funções, de acordo com o regime democrático, como bem previsto em lei”, disse Roberto Rocha.

O senador maranhense disse ainda ser inadmissível que, diante do exercício de suas funções, tenha a juíza Anelise Nogueira Reginato sido alvo de acusações e ataques pessoais proferidos de forma anônima, materializados por meio de publicações em redes sociais, além de comentários e entrevistas de várias autoridades na tentativa de desqualificá-la e intimidá-la.

“Se qualquer pessoa que procura a Justiça, não estiver satisfeita com uma eventual decisão judicial que lhe foi desfavorável, tem todo o direito de recorrer, mas, não de tentar desqualificar uma autoridade do Poder Judiciário”, afirmou.

8/13/2018

Defesa Civil orienta população a não jogar lixo nas praias




Por Francisco Lima ( ASCOM/ITZ)

Medida exige cuidados para manter preservação das áreas de banho

A Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil alerta banhistas e frequentadores a não jogarem restos de comida dentro d’água e lixo nas áreas de banho do Rio Tocantins. Iniciativa busca conscientizar população sobre o descarte correto do lixo, nas Praias do Cacau e do Meio, devido o intenso fluxo de visitantes.

Para a secretária executiva e bióloga da Defesa Civil, Elayne Cristina, jogar alimentos pode favorecer o aparecimento de animais aquáticos. “Essa prática atrai não só arraias, mas também cobras d'águas e até piranhas que vem procurar por comidas”, explica.

“A Prefeitura não tem medido esforços para cuidar da nossa cidade e torná-la um lugar melhor para se viver. Trabalhamos no sentido de orientar e informar a população sobre os cuidados e a manutenção desses locais, que são de grande importância para os moradores e turistas”, destaca o superintendente da Defesa Civil, Josiano Galvão.

Segundo ele, para garantir a segurança dos frequentadores e banhistas, agentes da Defesa Civil permanecem de prontidão diariamente no local. “Nos finais de semanas e feriados os serviços são redobrados nas duas praias, demarcando, sinalizando e inspecionando as áreas de banhos”.

De acordo com o monitoramento, o nível de água do rio Tocantins estava a 2.36 m³ abaixo de zero, na segunda-feira, 10. “A situação é estável e comum nesta época do ano, é quando as hidrelétricas passam a ter um aproveitamento mínimo, abrindo espaço para que ocorra a baixa das águas durante a temporada de praias do Rio Tocantins”, esclarece Josiano.