4/14/2013

Prefeitura investe em qualificação e valorização das pessoas



Desde que assumiu o governo em 2009, o prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira tem priorizado ações e projetos nos diversos setores da administração municipal. Um deles é a oferta de educação de qualidade comprometida com o desenvolvimento humano em todas as 152 unidades que integram a rede municipal de ensino.

“Desde minha primeira gestão temos realizado uma mudança silenciosa em Imperatriz, e uma revolução na educação municipal", declarou recentemente, Sebastião Madeira, prefeito de Imperatriz, durante entrevista à imprensa.

Entre os avanços na área, Zesiel Ribeiro, secretário municipal de educação observa a elevação nos índices de avaliação em nível nacional. “Como exemplo registramos a melhora significativa do último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica- IDEB divulgado, que mostra 56 escolas da Rede Municipal de Ensino de Imperatriz alcançando e/ou superando as projeções do Ministério da Educação (MEC). Além disso, no último ano, 52 alunos de Imperatriz foram medalhistas na XV Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), edição 2012”.  

Para eles, a situação favorável do sistema municipal de ensino é o resultado da postura de valorização e qualificação dos servidores municipais adota pela atual gestão, em especial dos profissionais que atuam na educação. “Como nosso objetivo é garantir ao aluno aprendizado com qualidade, essa meta só pode ser alcançada com política de valorização e qualificação dos profissionais que atuam diretamente com o aluno, os professores. Atentos a essa questão, ainda em 2009 fizemos um levantamento dos profissionais da rede Municipal que ainda não tinham o ensino superior e ofertamos a graduação em Pedagogia e Educação Física aos interessados, sem custos”.

Além desses trabalhamos também com a especialização e formação continuada em cursos e congressos, sejam presenciais ou à distância, de todos os educadores da Rede. “Também foi estabelecido convênio com a Universidade Federal do Ceará (UFC) para pós-graduação em Atendimento Educacional Especializado de 33 professores em parceria com o Ministério da Educação e Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI)”.

Política salarial da Rede Municipal supera cidades do sudeste

 Sobre os ganhos trabalhistas dos servidores da educação, Zesiel Ribeiro lembra que além das diversas ações que melhoram a atuação dos professores, a Prefeitura de Imperatriz tem valorizado estes profissionais através de melhorias salariais. “Em 2009, os professores nível III tinham salário base no valor de R$ 720,90 e atualmente o valor é de 1.054,77”.

Comparando o piso salarial dos profissionais da Rede Municipal de Imperatriz com outros municípios, como o de São Carlos, considerada um dos polos industriais do estado de São Paulo, segundo o secretário, proporcionalmente está em situação de vantagem. “Além do salário-base, os servidores de Imperatriz recebem vale-alimentação de R$ 180,00, progressão salarial, incentivo à sala de aula e adicional de tempo de serviço de 2% ao ano, enquanto que os servidores de São Carlos recebem R$ 1.012,00 sem vale-alimentação”, explica.

Outro beneficio garantido pela atual gestão foi a regularização do pagamento do terço de férias coletivas dos servidores da educação. De acordo com Iramar Candido Lima, Secretário Municipal de Administração, nas gestões anteriores os professores e auxiliares de magistério recebiam o terço somente no segundo semestre e divido em 3 parcelas. “Desde 2009 os professores passaram a receber esse valor em parcela única e no primeiro semestre do ano.

De acordo com o Iramar, o pagamento do terço referente ao ano letivo de 2013 já foi efetuado na ultima sexta-feira, 12. “O prefeito tem feito todos os esforços para garantir os direitos trabalhistas de todos os servidores. Ao todo 2153 servidores foram beneficiados com o pagamento do terço, o que movimentará na economia local R$ 1.135.000,00”.

Sobre o vale-alimentação: Em 2009, quando assumiu o governo, o prefeito Sebastião Madeira percebeu a necessidade de mudar e ampliar o benefício do vale-alimentação. Antes sendo apenas um valor em dinheiro incorporado ao salário do professor no valor de R$120,00, se transformou em um cartão de vale-alimentação que segue as diretrizes do Governo Federal no Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) e atualmente tem o valor de R$180,00 para professores e R$80,00 para demais servidores. (Luana Barros – ASCOM)