8/02/2013

Imperatriz sedia Encontro Regional do Programa Bolsa Família


Evento reúne regionais de Imperatriz, Açailândia e Balsas

Imperatriz sedia nesta sexta-feira (02), a 1ª Oficina Intersetorial Regional de Trabalho do Programa Bolsa Família/2013. O evento, que está sendo promovido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (SEDES) em parceria com a Prefeitura Municipal, visa discutir ações intersetoriais no monitoramento da gestão municipal do Cadastro Único para programas Sociais do Governo Federal (CADUNICO).

O encontro acontece no auditório da Secretária de Saúde, a partir das 8h e contará com a presença de representantes do Comitê Gestor Estadual do Bolsa Família e do secretário de Estado da Sedes, Fernando Antônio Brito Fialho, além de gestores municipais de Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e gestão municipal do Bolsa Família das regionais de Imperatriz, Açailândia e Balsas.

Miriam Reis, secretária de Desenvolvimento Social de Imperatriz, explica que durante o encontro serão destacados pontos de melhoria em todo o processo de gestão do bolsa família.

“Serão discutidas ações de monitoramento do programa com destaque para aplicação de questionários para fins de caracterização da gestão municipal do Cadastro Único; bem como realização de oficinas com a participação de gestores municipais e estaduais do Cadúnico e pactuação de planos de ação de alcance de metas relacionadas ao aprimoramento da gestão do Cadastro Único”, disse Miriam.

 Ela assinala que a promoção do encontro ajudará também na articulação da atuação pública envolvida com a promoção e inclusão social das famílias beneficiárias, como os sistemas de Saúde e Educação, estabelecendo uma forma de gestão compartilhada, dos trabalhos de condicionalidades e buscativas.

“Conforme já orienta do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS, que constitui normas, critérios e procedimentos de apoio entre a gestão dos programas, o encontro reforçará a importância da gestão compartilhada no intuito de ter maior controle das condicionalidades, e assim dar credibilidade e base ao programa e ao combate à pobreza e à exclusão social”, frisou. [Sara Ribeiro – ASCOM]