3/28/2014

SEMUS realiza capacitação sobre Síndrome de Hunter.


O curso foi promovido para Agentes Comunitários de Saúde, Médicos e Enfermeiros da Equipe Saúde da Família.No total foram capacitados 402 funcionários.

            Com o objetivo de informar e capacitar os profissionais que estão em contato direto com os usurários do SUS, para que possam identificar casos suspeitos de crianças que podem ter a Síndrome de Hunter - doença que acomete um a cada 162 mil nascidos vivos; a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), por meio do Departamento de Atenção Básica (DAB) realizou na manhã da última quarta (26) um treinamento para aperfeiçoar o diagnóstico dessa patologia.

            Levando em consideração a estimativa acima citada, presume-se que dentro da área atendida por Imperatriz pode existir cerca de 10 crianças portadoras da Síndrome. “Viabilizamos este treinamento por esta síndrome ser bem antiga porém pouco conhecida. E a melhor forma de identificação e tratamento é preparando nossos profissionais que representa a porta de entrada dos nossos usuários na rede pública de saúde”, explicou Anderson Nascimento, coordenador da Atenção Básica.

            As orientações a cerca da doença foram conduzidas pela Médica Pediatra da Universidade Federal do Maranhão, Francisca das Chagas, com auxílio da Empresa Biomarim Shire representada pelo funcionário Carlos Henrique, que afirmou: “Nas comunidades e nos postos de saúde, o profissional tem condições de visualizar os sintomas da doença e levantar a suspeita. O diagnóstico mais preciso é feito  mediante realização de exame de sangue que encaminhamos para ser feito no Rio Grande do Sul”.

            Carlos Henrique disse ainda durante o treinamento que foi acordado com a coordenação da Atenção Básica que todo caso considerado suspeito será encaminhado para realização de exames e tratamento. “Estamos com o projeto de disseminação do conceito e conhecimento da doença, e temos todo o suporte em diagnóstico, então surgindo a suspeita, pode ser encaminhada para Dra Francisca, ou notificado para  Anderson que nos avisará para tomarmos as providencias necessárias”.

            Na capacitação, foram distribuídos diversos materiais como cartilhas, folders, informativos e livretos que explicam as características, sintomas, e formas de identificar a Síndrome de Hunter que é conhecida também como Mucopolissacaridose. O material conforme observado é bem ilustrativo e informa claramente a respeito da doença.

Síndrome de Hunter

A síndrome de Hunter ou mucopolissacaridose, é uma doença de depósito lisossômico causada por uma enzima (ou ausente) deficiente, iduronato-2-sulfatase (I2S). É uma desordem genética grave que afeta principalmente os homens. Um recém-nascido com síndrome de Hunter pode parecer normal nos primeiros meses e anos de vida e conseguir atingir os primeiros marcos de desenvolvimento. E somente a partir dos dois anos de idade, as anomalias físicas começam a aparecer e, em certos casos, pode se desenvolver insuficiência cognitiva.

Muitas vezes, os primeiros sintomas da síndrome de Hunter podem incluir hérnias abdominais, infecções de ouvido, coriza e resfriados. Uma vez que esses sintomas são bastante comuns entre todas as crianças, eles não são susceptíveis de levar o médico a fazer um diagnóstico da síndrome de Hunter imediatamente. Os sinais mais visíveis são características faciais grosseiras, baixa estatura, mão em garra, laringe com depósito de GAGs, hérnia umbilical, caminhar na ponta dos pés e hepatoesplenomegalia.

Quanto as manifestações clínicas pode ser citado: Cifose e escoliose; síndrome do túnel do carpo; problemas esqueléticos e articulares; larga circunferência do crânico; rinorreia crônica; obstrução progressiva das vias aéreas; otite média e infecções respiratórias recorrentes; problemas cognitivos e comportamentais; perda auditiva; doenças vascular cardíaca; murmúrio cardíaco; fígado e baço aumentados.

                                                                                  Maria Almeida - ASCOM