1/29/2016

CHEIA DO RIO TOCANTINS: Graças à Defesa Civil do município, ribeirinhos não são surpreendidos




O mapeamento antecipado das áreas de risco e o monitoramento do nível do rio, feitos pela Defesa Civil evitaram que mais de 2.213 pessoas fossem surpreendidas pela cheia repentina do Rio Tocantins.  Segundo o mapeamento da Defesa Civil, as 668 famílias residem nos bairros Curtume, Beira Rio, Leandra e Caema - áreas de risco. 

Segundo o superintendente da Defesa Civil, Francisco das Chagas, o popular Chico do Planalto, ontem às 8 horas da manhã o Rio atingiu sua maior vazão- 12 mil metros cúbicos por segundo-.  De acordo com ele a previsão de mais chuva para as próximas horas nas cabeceiras e afluentes do Tocantins deixa o órgão em alerta constante. E destaca que a mobilização agora está focada em acolher as famílias que forem atingidas pela cheia.

Ontem o prefeito Sebastião Madeira elogiou a forma eficiente como o órgão vem atuando no trabalho de amparo e apoio à população atingida pelo aumento do volume do rio - que ontem às 15 horas estava com 7, 79 metros acima do seu nível  considerado normal -.  “Nosso compromisso é garantir a segurança e o amparo necessário aos atingidos pela cheia. E isso Defesa Civil tem realizado muito  bem ” assinalou o prefeito.


Apoio - Na estrutura do município não só a Defesa Civil foi mobilizada pelo prefeito Madeira.  Francisco das Chagas ressalta a participação das Secretarias de Saúde, Infraestrutura, Educação além do Corpo de Bombeiro Militar, Bombeiros Civis e Polícia Militar. “Também vamos pedir o apoio do Exército Brasileiro”  informou.

O Parque de Exposições Lourenço Vieira da Silva foi preparado para receber os desabrigados que não tem para onde ir.  O superintendente reforça que a prefeitura está disponibilizando caminhões para realizar o transporte dos moradores e que toda a logística de apoio aos moradores ribeirinhos está sendo levantada pela a prefeitura. Como por exemplo, estrutura de iluminação e limpeza nos quiosque do Parque de Exposição, caminhões para o transporte das famílias.  “Os alojamentos estão estruturados para receber as famílias que moram nas áreas de risco”.

Informações importantes- Quem precisar de alojamento basta se dirigir até a Defesa Civil localizada na Avenida Rafael de Almeida, nº 600, esquina com Rua Leôncio Pires Dourado, antiga instalações do escritório da Suzano Papel e Celulose, bairro São Salvador ou entrar em contato pelo telefone (099) 99138-4118.  

Eva Fernandes  [ASCOM]