6/21/2012


Em Brasília, Secretaria de Saúde Conceição Madeira e equipe lutam por mais recursos para Imperatriz


Cidade vai ganhar novos postos de saúde; centro de saúde do homem e da mulher; e duas Academias de Ruas

O prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira; a secretaria municipal de saúde, Conceição Madeira; o superintendente do Sistema de Regulação do município (SisReg), Irisnaldo Félix; e o deputado federal Chiquinho Escórcio, participaram ontem (20), no Ministério da Saúde, em Brasília, de mais uma rodada de  negociação, com o objetivo de aumentar o teto financeiro de  Média e Alta Complexidade (MAC) de Imperatriz. O repasse está, há quatro anos, congelado, em cerca de quatro 4 milhões de reais, valor insuficiente para atender todos municípios pactuados com Imperatriz.

De acordo com o prefeito Madeira, nesses últimos anos, alguns números da saúde mais do que dobraram. “Houve um aumento substancial no atendimento do Hospital Municipal, que saltou de oito [mil] para 17 [mil] e, as vezes, até 18 mil atendimentos por mês. Aumentou, também, a emissão de consultas e exames, bem como o número de cirurgias”, lembrou o prefeito. Ele acrescentou que tudo isso acaba sufocando financeiramente o município, que tem de investir, todos os meses “mais de um milhão de reais para suprir a demanda”.

Ainda segundo o prefeito, é por esta razão que ele e a secretária de saúde viajam com tanta freqüência a Brasília, para tentar convencer o Ministério da Saúde a aumentar o teto financeiro do município. Com base nos dados dos técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e do superintendente do SisReg, Irisnaldo Félix, Madeira considera que, hoje, o município deveria receber cerca de seis milhões de reais do Ministério.

Enteresinamento da saúde de Imperatriz”


Irisnaldo Félix informou que, há pelo menos três anos, começou o processo de ‘enteresinamento’ da saúde de Imperatriz. Segundo ele, as caravanas de pacientes, que antes pegavam a estrada em busca de tratamento médico em Teresina (PI), com a mudança do critério de atendimento de pacientes de outros estados, adotada por aquele município, passaram a vir para Imperatriz.

“Aqui, passou a ser o porto seguro para milhares de doentes vindos de vários municípios. Alguns até do Pará e do Tocantins”, ponderou Irisnaldo.

Melhoria dos índices

Nas rodadas de conversas com o Ministério da Saúde, em Brasília, para aumentar o teto financeiro da MAC, a secretária Conceição Madeira informou que o município já cumpriu com diversas exigências, a principal delas, o envio ao Ministério dos índices de produtividade.

“No inicio da gestão o índice era de 40%. Hoje, já chegamos a 80%. Isso significa que o Ministério tem um conhecimento mais amplo e real dos serviços de saúde realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Imperatriz e, o mais importante, que o que recebemos hoje é, de fato, insuficiente para atender a demanda”, explicou a secretária. (Comunicação)