6/03/2014

UMA HISTÓRIA DE SUCESSO: Das cinzas ao maior fabricante de sorvetes e picolés do Maranhão.


Empresa nascida em Imperatriz se prepara para ocupar a Ilha de São Luís e outras capitais do nordeste.

Em  Março de  2012  quando a  Fábrica de Sorvetes e picolés  Dois Irmãos,  pegou fogo lá no bairro Santa Rita, e o  empresário Clynewton Dias Santos, 39, via sob seus olhos e os de uma multidão,  o resultado de um sonho e de anos de trabalho consumidos lentamente  pelas chamas, a impressão que se tinha é de que demoraria pelo menos  cinco ou dez anos para  ele se  reerguer.  Como é comum nesses casos, havia até quem decretasse que jamais se recuperaria tal o tamanho do prejuízo. 

Sem perder o foco e o equilíbrio; com o apoio da família, dos amigos e da “cidade” como ele faz questão de assinalar, o empresário não parou de trabalhar. Sem apelar para financiamento juntou o que restou e permaneceu no mesmo ramo transferindo a fabricação dos produtos para um galpão às margens da Belém Brasília, na Lagoa Verde.

Menos de três anos depois, Clynewton transformou o galpão da Lagoa Verde numa moderna fábrica.  Ele não só se recuperou como investiu em tecnologia, mão de obra qualificada, expandiu o negócio e hoje é o maior fabricante de sorvetes e picolés do Maranhão vindo a concorrer de igual para igual  com distribuidores de marcas famosas.

No último final de semana o empresário convidou o prefeito Sebastião Madeira para conhecer o parque industrial que conseguiu erguer  e de onde sai  toda a produção de picolés e sorvetes com qual abastece o mercado local e regional. O próximo passo, disse ele ao prefeito, é entrar no mercado da ilha de São Luís onde com apoio da Secretaria de Estado da Indústria já conseguiu uma área para  montar um Centro de Distribuição no Distrito Industrial daquela capital.

Clynewton informou ao prefeito que corre contra o tempo para deixar tudo pronto para inaugurar a nova fábrica por ocasião das festividades do aniversário da cidade.
 “Será um presente para Imperatriz” comentou o empresário. A inauguração foi acertada com a assessoria do prefeito para o dia 15 de Julho, uma terça-feira véspera do aniversário de fundação da cidade.

A dois irmãos emprega hoje diretamente cerca de 80 funcionários com capacidade para até 150 operários quando a fabrica da Lagoa Verde estiver em pleno vapor.

Enquanto apresentava cada setor da nova fábrica (câmaras frias, laboratório, linha de produção, embalagem e  produto final)  ao prefeito Clinewton ia contando um pouco da sua trajetória empresarial nascida em 1995, por incentivo da mãe, Maria da Conceição Dias dos Santos, na avenida Padre Cícero,  numa modesta instalação no  bairro Santa Rita. 

O empresário declarou que o apoio dos amigos, clientes, fornecedores e do poder público foram fundamentais para que pudesse reunir as forças necessárias para se reerguer. “Sempre tive o apoio do Madeira, não só como prefeito, mas como pessoa.  No dia mesmo do incêndio ele esteve pessoalmente comigo se solidarizando e dando aquela força que necessitamos nos momentos de perdas”  comentou o empresário.

Depois de São Luís, o empresário já pensa em expandir a distribuição, a médio e longo prazos, para capitais como Belém, Teresina e Palmas. “Vamos trabalhar para isso”  anunciou.
Para o prefeito uma história de trabalho, luta e superação como a de Clinewton é sempre motivadora para quem dela toma conhecimento. “Uma pessoa que passou o que ele passou e se reergue literalmente das cinzas não é qualquer um. Merece o respeito da sociedade. Além disso,  é um exemplo  para aqueles  que começaram e no primeiro obstáculo pensam logo em desistir”  assinalou o prefeito.