3/02/2015

Autoridades se manifestam contra gaúcha que agrediu o Estado numa rede social. Caso ainda repercute em todo o Brasil.

                                      Promotor de Justiça Joaquim jr.

Não é de agora, e não é nenhuma novidade, o fato do Sul e Sudeste,  historicamente sempre discriminarem  nós, nordestinos,  tanto que na última campanha presidencial esse viés discriminatório chegou a ser  criminosamente explorado,  e  deliberadamente potencializado com fins eleitoreiros.   

O caso da gaúcha  Isabela Cardoso que usou uma rede social para disparar agressões contra o Maranhão, veio se somar ao caso do  advogado paranaense Gustavo Zannelli,  que a exemplo da gaúcha ficou tristemente famoso em todo País por conta das ofensas contra  nossa  gente, fato ocorrido em Setembro de 2013.

Relembre aqui o caso - leia artigo:


O  que tanto a gaúcha, quanto o paranaense não contavam é que em tempos de “ redes sociais”, “ nós não  estamos mais sós” . Em questão de segundos as besteiras,  ou não,  que se escreve, ou  que se diz, são lidas e repercutidas em todo o mundo. 
                                                          Dep. W. Rocha

Assim como, Zannelli, a Isabela agora enfrenta a reação dos bons brasileiros  que não toleram  nenhum tipo de preconceito ou   intolerância, e ainda corre o risco de enfrentar ações na Justiça, como já se já manifestou o promotor de Justiça  Joaquim Jr.  A Secional da OAB no Maranhão também já teria se manifestado a favor de uma notícia crime contra a jovem.
As manifestações, oficiais e não oficiais, contra as insanas declarações, da gaúcha estão por toda  parte.

Da Câmara dos deputados o deputado federal   Werverton Rocha disparou uma nota de repúdio na qual diz que  “Como maranhense, me sinto no dever de manifestar meu mais profundo repúdio às manifestações de preconceito proferidas, nas redes sociais, por uma jovem, natural de Gramado (RS). Sem qualquer pudor, a jovem critica a cultura do Maranhão e as pessoas que moram no estado. O olhar carregado de insensibilidade, revela falta de conhecimento da história nos seus detalhes”


Em entrevista agora à tarde o prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira também se manifestou e partiu em defesa da cidade, dos maranhenses e do nordeste.  Para o prefeito em pleno século XXI não se tolera qualquer tipo de manifestação preconceituosa contra a dignidade,  seja de uma pessoa,  de um bairro,  cidade, estado ou país.

“Tenho plena consciência que se trata de uma opinião isolada de quem não conhece a história da nossa gente, a história do Brasil,   e  que tal postura não reflete o que pensa o povo gaúcho, que sempre foi bem recebido em nosso Estado;  tanto que muitos aqui decidiram morar, montar seus negócios   e constituir família. Fica aqui, entretanto,  nosso lamento  pelo triste episódio e que a autora deste venha a ser alcançada  pelos braços da lei”  disse o prefeito.