11/11/2015

ORGULHO: INDÍGENA MARANHENSE É HOMENAGEADA PELA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA


Sônia Gujajara  foi agraciada com a maior condecoração cultural brasileira.


A pedagoga Sônia Bone Guajajara,  que já foi servidora  {Educação} da Prefeitura de Imperatriz  ao longo dos anos se tornou  referência nacional e internacional na defesa dos interesses dos povos indígenas,  atuação que já a levou a participar de diversos fóruns internacionais. Na última segunda-feira , 9, todo esse ativismo foi reconhecido quando ela recebeu das mãos da própria presidente da República  Dilma Roussef o  honorifico título da  “ Ordem do Mérito da Cultura”  durante prestigiada solenidade.

Sônia Bone Guajajara, atualmente é a  coordenadora executiva da APIB (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil),

Durante  o evento  Sônia fez com que a presidenta Dilma exibisse uma camiseta com dizeres contrários à aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 215, que visa transferir do Executivo para o Legislativo a demarcação de Terras Indígenas. 

“A PEC 215 é um muito ruim para os indígenas porque afeta seus direitos sobre o território, deixando a questão da demarcação de terras à mercê de interesses como os da bancada ruralista, por exemplo”, alertou Sônia.



Sobre a Ordem do Mérito Cultural

Criada por decreto, em 1995, e outorgada pelo Ministério da Cultura, a OMC já premiou mais de 500 protagonistas do desenvolvimento cultural brasileiro, entre vivos ou já falecidos, como: Athos Bulcão, Ariano Suassuna, Luis Gonzaga, Milton Nascimento, Tomie Ohtake e Vinicius de Moraes.

A premiação é anual e a escolha é feita por meio de seleção entre nomes previamente indicados pelo público em formulários disponibilizados nos canais digitais do Ministério da Cultura (MinC) ou pelos Correios. As sugestões são avaliadas pelo Conselho da Ordem do Mérito Cultural, presidido pelo ministro da Cultura e integrado pelos ministros da Educação, da Ciência, Tecnologia e Inovação e de Relações Exteriores, além de uma Comissão Técnica nomeada pelo MinC.