1/26/2016

Defesa Civil realiza “sinal de alerta” para todos os moradores da área ribeirinha


Segundo os dados do recadastramento mais 2 mil pessoas poderão ser atingida com a elevação do nível do rio Tocantins

Após fazer o recadastramento das 668 famílias que residem às margens do rio Tocantins, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil Municipal voltou à localidade nesta segunda-feira (25) para alertar os moradores sobre os riscos de alagamento. De acordo com o Superintendente Francisco das Chagas, as hidrelétricas de Estreito e Lajeado estão com vazões elevadas e por isso a Prefeitura está alertando a população.

“O nível do rio está atualmente com 5 metros e 55 centímetros, sem falar nas vazões das hidrelétricas que estão altíssimas, a usina de lajeado está defluindo em torno de 12 mil metros cúbicos de água por segundo, dessa forma obriga a usina de estreito a uma vazão de 9 mil metros cúbicos por segundo, podendo a mesma chegar nas próximas horas  a mais de 12 mil  metros cúbicos por segundo”.


Segundo o mapeamento da Defesa Civil, 2.213 moradores dos bairros Curtume, Beira Rio, Leandra e Caema estão nas áreas de risco. Ele destaca que a mobilização agora está focada em organizar espaços para acolher as famílias que forem atingidas pelo alagamento.

“Toda a logística de apoio aos moradores ribeirinhos está sendo levantada pela a prefeitura através da Defesa Civil Municipal. Como por exemplo, estrutura de iluminação e limpeza nos quiosque do Parque de Exposição, caminhões para o transporte das famílias. Também estamos buscando espaços nas escolas do Município, entre outros locais para oferecer às famílias”. E acrescenta “também que está sendo solicitado apoio junto ao50 BIS, Corpo de Bombeiro Civil e Militar”.


Eva Fernandes [ASCOM]