11/01/2016

SECA DO RIO TOCANTINS: SOCIEDADE SE MOBILIZA


A fase de choro e lamentação pela situação atual do Rio Tocantins parece  ter chegado ao fim. O momento agora é de ações concretas.  Dois grupos começaram a se mobilizar,  já com grande adesão. O primeiro, formado por professores, estudantes, profissionais liberais, e conhecidos ambientalistas; o outro,  é puxado pelo vice-prefeito eleito Alex Rocha.  Dia 19 de Novembro, ambos os grupos estarão juntos  numa ação de replantio  de espécimes  nativas  às margens do Riacho Bacuri.  Para eles será  a inicial de uma série de atividades voltadas, não só para o Rio Tocantins, mas também para outras causas ambientais.

Na noite da última segunda-feira uma multidão se reuniu na sede da Igreja Nova Vida, da qual Alex é o líder, para debater o problema; já nesta terça-feira na Academia Imperatrizense  de Letras o segundo grupo, temporariamente denominado de  “Força Tarefa Rio Tocantins” definiu, e dividiu tarefas entre os subgrupos formados com quem apareceu e se colocou à disposição.   

A meta agora,  revela a liderança do movimento,  é ir além do diagnóstico e partir para gestos concretos, incluindo ai campanhas de conscientização,  mutirões de limpeza e  replantio de espécimes,  e até mesmo, se for caso,  o mover de ações judiciais.
Na próxima terça-feira, às  16 horas,  na Academia de Letras,  haverá mais um encontro, aberto  a quem quiser se juntar a essa causa.


O Rio Tocantins enfrenta a maior seca da sua história.  O mais perto do que acontece hoje, segundo moradores mais antigos, tem o registro em 1967, a diferença é que naquele tempo não tinha tanto a influência do homem quanto agora mão essa a visível  na transformação de seus afluentes em “canais de esgoto”, na devastação da vegetação ciliar,  na derrama ,sem tratamento, de parte do esgoto, na transformação de suas margens em verdadeiros lixeiros.