4/29/2017

Maranhão do Sul é tema de encontro na Câmara Municipal no Primeiro de Maio


Evento é organizado pela Associação para o Desenvolvimento da Região Tocantina e do Maranhão do Sul

Será na próxima segunda-feira, Primeiro de Maio, a partir das 9 horas da manhã, na Câmara Municipal, o “Primeiro Colóquio Maranhão do Sul. Sim, é Possível”. O evento tem a chancela da Associação para o Desenvolvimento da Região Tocantina- Adermasul que  elegeu a criação do futuro estado como uma de suas bandeiras. 

Formada por jornalistas, estudantes, advogados,lideranças empresariais, associativistas e estudantis; além de simpatizantes da causa que já remonta quase 200 anos, a Ademarsul, criada no início do ano passado e formalizada recentemente, decidiu incluir a divisão do Maranhão como uma de suas lutas por entender que uma bandeira  como essa jamais poderá ser arriada e por acreditar que somente a criação desse novo Estado  será capaz de alavancar efetivamente o desenvolvimento desse lado do Estado.

“O encontro do Primeiro de Maio marca a recomposição desse movimento que, na verdade, nunca foi totalmente deixado de lado ou esquecido. Na região, seja nas Câmaras Municipais, associações e lojas maçônicas sempre teve alguém a defender essa bandeira”  ressalta o jornalista Josué Moura, atual presidente da Adermasul. 

Desde o anúncio da retomada das incursões pela criação do  “Maranhão do Sul”  a Adermasul tem recebido com frequência  manifestações  de apoio e convites para se juntar a um movimento nacional por uma nova redivisão territorial do Brasil que começou a se formar. Foi um desses convites que motivou a mudança da data inicial do encontro de Imperatriz de  21 de Abril, para o Primeiro de Maio. A Associação se fez representar no IV Encontro Nacional de Líderes Emancipalistas e Anexionistas que ocorreu na mesma data   em Manaus (AM)

A direção da Ademarsul acredita que pelas adesões registradas até agora o encontro de Imperatriz, mesmo com a mudança de data, terá  igual impacto do que seria no  21 de Abril. Essa conclusão se sustenta no fato  da associação receber  manifestações de lideranças de quase todos os  municípios que integram o “mapa inicial” do novo Estado curiosas e  interessadas em se integrar  integração ao movimento “ tanto que,  em cada um desses municípios, a ideia  será implantar uma espécie de célula emancipacionista” ressalta o empresário Atenágoras Batista, sócio fundador da Adermasul e entusiasta da causa.

A compreensão da Ademarsul  completa o advogado Oziel Vieira,  outro sócio fundador,  é de que esse passo inicial de  exposição da  entidade no colóquio do Primeiro de Maio será mais do que um encontro de ideias e ideais, e sim  “ o  marco de uma nova jornada  pelo tão sonhado Maranhão do Sul”

A mais recente mobilização sobre Maranhão do Sul, lembra o jornalista Josué Moura, foi em 2011, depois disso não se falou mais no assunto.  “Até que há pelo menos um ano ao conversar com outros colegas jornalistas e alguns entusiastas da causa, retomamos a bandeira e em fevereiro demos corpo à Adermarsul,”, informou

O presidente da Adermarsul avalia ser “uma covardia a região não prosseguir com essa luta que é, sobretudo, justa e possível”. “Não estamos vendendo a ilusão de que o plebiscito vai logo acontecer e que em breve o estado estará criado. Não, como das outras vezes, teremos muita luta pela frente e a médio ou longo prazos acabaremos logrando êxito, transformando em realidade o sonho de várias gerações de maranhenses desse lado de cá do estado”, concluiu.

Encontro com o prefeito- Ontem pela manhã o prefeito Assis Ramos recebeu em audiência uma  parte da diretoria da Adermasul. O grupo além de convidá-lo  para o evento o convidou a se engajar no movimento. Assis  disse que como prefeito é complicado um engajamento total, mas se mostrou simpático à causa e que sempre que possível

Temas - Os temas a serem discorridos e debatidos no I Colóquio “Maranhão do Sul, Sim é Possível”, serão manuseados pelo jornalista, consultor e escritor e enciclopedista Edmilson Sanches, pelo advogado, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins, Hélio Miranda e pelos professores Enéas Rocha e Esmerahdson de Pinho.
Os palestrantes

 PROGRAMAÇÃO


Público alvo: Estudantes, professores, profissionais liberais, líderes classistas, políticos, empresários, simpatizantes da causa, em geral.

8h – Abertura solene, boas vindas

8h10 – Palavra inicial e breve resumo sobre os passos dados nesse “novo momento da luta pelo Estado do Maranhão do Sul” (Josué Moura)

8h20 – Apresentação das peças da campanha de marketing do movimento (Start Mídia)

8h40 – Apresentação artística

9h – Aspectos históricos e humanos da luta pela divisão territorial do Estado do Maranhão (Edmilson Sanches)

9h30 – Aspectos políticos e jurídicos da criação de um novo Estado (Hélio Miranda)

10h10 – Realidade econômica brasileira, desenvolvimento regional, e as potencialidades econômicas do Maranhão do Sul (Esmerahdson/ Enéas)

10h40 – Debates/tribuna livre

11h30 Encerramento

Maçonaria alavancou movimento no início da década passada

Encontro na Grande Loja (SP) na década passada 
Depois da Assembleia Nacional Constituinte, na década de 1980,  quando o projeto de criação do Maranhão do Sul chegou a ser pauta forte no Congresso Nacional,  a discursão em torno de uma possível divisão do Maranhão voltou com força na década passada quando a Maçonaria ergueu  a Bandeira e na época mobilizou o então deputado federal Sebastião Madeira (PSDB) para que apresentasse o Projeto de Decreto Legislativo que viesse originar o Maranhão do Sul.  Depois, o senador Lobão fez o mesmo no Senado.


Apesar de toda mobilização nacional feita pela maçonaria contando com audiências em Brasília com lideranças da Câmara e do Senado e encontros na Grande Loja Maçônica do Estado  de São Paulo,  bem como na do Espirito Santo, o projeto  mesmo aprovado na Comissão de Constituição e Justiça de ambas as casas ( Câmara e Senado)  nunca foi levado a  plenário para aprovação ou não do plebiscito.

No encontro do Primeiro de Maio na Câmara Municipal algumas lideranças maçônicas daquela época, e que nunca permitiram que a bandeira do Maranhão do Sul fosse totalmente arriada serão lembradas e homenageadas pela Adermasul.