1/27/2012

Parceria entre a Prefeitura e Eletronorte promove desenvolvimento local sustentável


O prefeito garante que a mulher tem maioria e destaque em sua administração
       Teve início na última terça-feira (24) e prossegue nesta sexta-feira (27), no auditório do Shopping Imperatriz, a I Oficina de Sensibilização em Gênero, Raça e Etnia, que tem como finalidade o desenvolvimento local sustentável, nas comunidades de convivência do município de Imperatriz, nas localidades de Lagoa Verde, Vila São João, Vila Chico do Rádio e Açaizal.

         Integrado com o Programa Eletrobrás Eletronorte pela superação da pobreza das mulheres, a oficina tem como participantes dois grupos: comunidades e poder público local, e tem como objetivos promover a sensibilização em gênero, raça e etnia, buscando o desenvolvimento local sustentável a partir da implementação de políticas e projetos que pautem os princípios da transversalidade.

          Integrando a mesa de abertura da oficina, a secretária de Políticas para Mulheres, Conceição Formiga destacou que o tema é bastante atual, razão porque deve ser debatido. Ela lembrou que as mulheres foram no passado colocadas em um plano inferior, mas que agora ocupam seus espaços em todos os setores da sociedade.

A titular da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Miriam Reis parabenizou a Eletronorte, observando que a empresa estatal preocupa-se com seus funcionários e com a comunidade em que vive. Para o secretário adjunto de Agricultura, Hélio Fraga, a Eletronorte desenvolve um trabalho social intenso pela zona rural do município, “daí a efetiva participação da Secretaria de Agricultura nesta parceria”.

Os representantes da Eletrobrás Eletronorte, Maria de Nazaré Paixão, Gleide Brito e Roberto Nonato da Costa Sousa, que coordenam a oficina, explicaram aos presentes sobre o que a estatal vem realizando cumprindo desta forma sua responsabilidade social. Gleide Brito revelou que a Eletronorte está presente em 68% do território nacional, “mesmo assim temos dificuldades de implantar projetos como este, mas é preciso pensar em um novo modelo de gestão pública”.

Maria de Nazaré Paixão fez um breve relatório de ações sociais desenvolvidas pela estatal no município de Imperatriz. “Agora estamos em nova fase desenvolvendo a Universidade Corporativista da Eletronorte visando dar oportunidade de crescimento baseado na educação”. Roberto Nonato, por sua vez, explicou toda a trajetória do projeto até o momento atual e destacou que “queremos deixar claro que não fazemos política partidária, mas política social”.

O ex-deputado estadual Valdinar Barros que vem acompanhando esse projeto em outras regiões do estado observou que “a luta sem a participação da mulher fica pela metade”, disse o sindicalista, acrescentando que o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Imperatriz foi o primeiro no estado a associar a mulher trabalhadora rural. “Quero parabenizar a Eletronorte por esse trabalho e a Prefeitura Municipal, por abrir suas portas para receber esse projeto”, concluiu Valdinar.

“Temos emprego, mas faltam trabalhadores preparados para os cargos”, diz Madeira
                                                                                                             

Para o prefeito Sebastião Madeira, a realização desta oficina é de suma importância na discussão da questão gênero, raça e etnia. Ele lembrou inicialmente, que na questão gênero, sua administração saiu na frente quando criou a Secretaria Municipal de Políticas para mulheres, “e colocamos como gestora a pessoa mais apropriada, a professora Conceição Formiga”.

Observou também que a maioria absoluta de servidores é do gênero feminino, “não por serem mulheres, mas em função da capacidade intelectual e de trabalho de todas”, observou. Madeira lembrou que se fez presente na abertura da oficina no povoado Lagoa Verde, ressaltando a importância da realização de oficinas e cursos profissionalizantes.

De acordo com Madeira, Imperatriz não falta emprego em todos os setores da economia. “Infelizmente, não temos pessoas preparadas para assumir determinados cargos”. O prefeito lembrou que a cidade, através de algumas instituições, está realizando cursos na construção civil, preparando pedreiros, carpinteiros, eletricistas e outros.

 Ele entende que doar cestas básicas só em momentos de catástrofe, pois ela logo se acaba. “Agora oportunizar cursos, preparando as pessoas para o mercado de trabalho rende um bom salário e por toda a vida”, afirma Madeira, acrescentando que a Prefeitura de Imperatriz abraça todas as parcerias que venham colaborar com a melhoria de vida da população.