4/30/2012



Saída repentina de diretor do Campus II da UFMA gera desconforto.  Alunos e professores querem uma nova eleição.

Causou desconforto em todo o corpo acadêmico do Campus II da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) a saída repentina do professor Marcelo Donizzetti Chaves da direção daquele centro de ensino.  Ele teria pedido remoção para a Universidade Federal de São Paulo ( campus de Santos) sem   avisar  à comunidade acadêmica apanhando a todos de surpresa.

O Campus II da UFMA (Imperatriz) funciona com os cursos de Pedagogia, Direito, Ciências Contábeis, Enfermagem, Engenharia de Alimentos e Comunicação social com habilitação em Jornalismo curso que inicia  agora o movimento por novas eleições diretas.

O Objetivo, conforme explica o professor doutor Marcos Fábio é impedir que a reitoria nomei   um gestor temporário  o que para o  Campus seria um retrocesso.
Uma carta aberta,   assinada por Marcos Fábio, começa a circular nas redes sociais . Nela ele relata a situação e propõe uma nova eleição.

Eis, a carta.



TUDO NOVO DE NOVO
(Por uma nova eleição na UFMA-Imperatriz)

Vivemos recentemente, na UFMA de Imperatriz, um processo democrático honesto e histórico. Reunidos em comunidade, ouvimos as propostas dos candidatos à Direção do CCSST e votamos naquela que nos pareceu a melhor para todos. A proposta eleita ganhou por maioria dos votos de todos os segmentos – como deve ser num processo democrático.

Por motivos que não nos cabe aqui relatar – até porque, sinceramente, não nos interessam – o diretor eleito pediu remoção para a Universidade Federal de São Paulo, campus de Santos, deixando o cargo que conquistou legitimamente. Perplexidade. Mas não desânimo.

Agora é preciso começar de novo. Refazer o processo. Pelo estágio que chegou o amadurecimento da nossa comunidade, não é concebível instituir, como ocorreu num passado que todos lembramos bem, um diretor Pró-Tempore que fique além do tempo necessário para dirigir um novo processo eleitoral. Acreditamos que o nosso reitor, professor doutor Natalino Salgado, sensível que é aos apelos das instâncias da universidade e compromissado com a consolidação do processo de interiorização da UFMA, saberá ouvir a voz dos integrantes deste CCSST e atender ao nosso pleito. Um diretor Pró-Tempore, mais uma vez,  não interessa a ninguém.

Mas é preciso que nos mobilizemos desde já. É preciso que as instâncias estudantis, os colegiados de curso, o conselho de Centro e toda a comunidade universitária manifestem o seu desejo por novas eleições diretas – dentro do princípio de democracia e respeito às ideias e propostas de cada candidato. Como já fizemos, como faremos tantas vezes seja preciso. Temos todas as condições de tomar as rédeas do nosso próprio destino e construí-lo com autonomia, juntamente com aqueles que aqui queiram ser felizes, queiram contribuir com a universidade e com a região, pois temos, em última instância, o dever profissional de fazer desenvolver-se o lugar  no qual estamos inseridos, onde estudamos, trabalhamos e que nos acolheu.

É hora, de novo, de juntar forças, agrupar interesses, em prol do crescimento do nosso Centro. Enfim, de fazer “tudo novo de novo”, como bem cantou Paulinho Moska.

Marcos Fábio Belo Matos
Professor doutor do Curso de Comunicação – habilitação em Jornalismo
Coordenador do G.Mídia – Grupo de Pesquisa da Mídia Jornalística
Coordenador do Cineclube Muiraquitã – Projeto de Extensão do Curso de Jornalismo