5/17/2012


Itinga (MA)  abriga a maior jazida de bauxita do Brasil. População aguarda  o início da exploração do minério


Australianos têm interesse na exploração  do minério


Com cerca de 26 mil habitantes  e uma área territorial de 3.581,702 quilômetros quadrados o município de Itinga (MA),  nos próximos anos deve ter sua “vida econômica”  transformada.

Localizado na mesorregião do Oeste Maranhense, integrante da região que se convencionou ao longo dos anos a ser chamada de  região tocantina,  o município  que hoje tem como principal fonte de renda a industria madeireira  pecuária , abriga em seu subsolo a maior jazida de bauxita do Brasil, a segunda maior do mundo segundo estudos geológicos já realizados.

Um político local informou que uma Mineradora Australiana já teria conseguido, há mais de dois anos, uma licença no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) para fazer prospecções na Serra do Tiracumbu. Conforme a fonte, a licença conseguida por essa mineradora termina em 2012 e já há outros grupos mineradores interessados na exploração do minério.

Não resta dúvida, ressalvada a questão ambiental, de que quando o processo industrial de extração da bauxita começar, o município de Itinga mudará de patamar econômico mudando radicalmente a vida da população.


A bauxita


A Bauxita é um minério que contém no mínimo 45% de alumina, que é extraído para se produzir alumínio. No Brasil cerca de 1,8 quilograma (quatro libras) de bauxita é necessário para se produzir 0,45 quilograma (uma libra) de alumínio

A bauxita encontra-se em diversas partes do mundo, com maior abundância nos países tropicais, sendo reduzido o seu custo de extração e transformação em alumina. A produção de alumínio a partir da alumina é efetuada em países ricos em energia elétrica, devido à elevada necessidade de consumo deste recurso
--
A grande maioria das reservas de bauxita encontra-se na América do Sul e Central, na Austrália e na África, mas também existem jazidas na Europa.