8/03/2012

Justiça Eleitoral mantém PP na coligação de Madeira e Porto




Não há mais dúvida. O Partido Progressista (PP), que havia sido anexado a uma outra coligação, vai mesmo de Madeira e de  Pastor Porto, integrando o arco de aliança da Coligação Pra Fazer Muito Mais. A decisão é Justiça Eleitoral.

No dia 5 de julho de 2012, quando do último prazo para o registro de candidaturas no TRE, o presidente do Diretório Municipal do PP, Neto Ampere, descobriu que uma outra coligação, adversária do prefeito Madeira, havia anexado o PP junto a seu registro eleitoral.

“Fiquei pasmado, porque participamos da convenção que decidiu que o PP de Imperatriz iria compor a chapa majoritária de Madeira e Pastor Porto. Nunca acreditei que essa fraude poderia prosperar”, comentou, à época, Neto Ampere.

Na ocasião, a duplicidade de registro ensejou numa impugnação judicial, que, agora, foi julgada procedente pela Justiça Eleitoral, principalmente depois que o Diretório Estadual desconsiderou o ato intervencionista que havia ensejado no registro do PP na coligação adversária de Madeira.

Assim, fica garantida, além da participação do PP no arco de aliança de Madeira, maior tempo de televisão e rádio, importantíssimos na fase de mídia que se inicia no dia 21 de agosto.

“A decisão foi uma vitória para uma coligação que firmou parceria partidária baseada no convencimento político e no respeito aos dirigentes de Imperatriz, livre da ditadura da intervenção e do mandonismo”, frisou o advogado Daniel Souza, da coordenação da coligação de Madeira.