8/18/2012

Pastor Porto, o vice de Madeira: “ Faremos uma campanha limpa. As agressões ficarão para aqueles que não têm nada para mostrar"


O pastor Luiz Carlos Porto  foi vice governador do Maranhão, chegando até a assumir, por algumas vezes,  a gestão do Estado para cobrir as viagens internacionais do então governador Jackson Lago.

Com mais de oito anos envolvido diretamente no mundo político partidário, o candidato a vice de Madeira sempre foi membro do PPS. Migrou para o PSDB, a pedido de Madeira, para tentar a candidatura a deputado federal e retornou depois para seu partido de origem.

         A princípio Porto era pré-candidato a prefeito possuía, lembra ele,  a menor rejeição (cerca de 2%) e estava em terceiro  nas pesquisas realizadas na época. Com a inelegibilidade do segundo colocado, Porto tomou a segunda colocação nas pesquisas.
Ele conta que foi demovido da ideia depois de uma conversa  com  Dona Clay Lago, viúva do ex governador, Jackson Lago.   Porto foi pedir o apoio dela. A ex-primeira dama respondeu: Se Jackson fosse vivo, ele não iria querer apoiar um ou outro, ele pediria para os dois (Madeira e Porto  trabalharem juntos)
       Dialogando com família, partido, amigos e,  com o próprio Madeira, Porto decidiu concretizar a aliança e aceitou ser vice prefeito na luta pela reeleição do candidato do PSDB.

         O Pastor traz consigo uma  riquíssima bagagem de sua experiência como vice governador. Durante o mandato, Porto pôs em prática um programa onde visitaria diversos municípios do Estado para dialogar diretamente com a população. Conhecer o povo, suas necessidades e, por meio de palestras, promover a conscientização. Tudo que era apreendido nas viagens, era repassado para o governador.

         O candidato traz consigo  também uma formação cristã. Foram muitos anos lidando diretamente com pessoas e seus problemas cotidianos. Além de uma moral que ele tanto preza e que, por muitas vezes, via nas atitudes do ex -governador.

         Em Imperatriz, Porto vê novos desafios: para ele, desempenhar a função de vice prefeito é um trabalho mais direto e ativo.

         O Pastor acredita que a cidade possua uma demanda reprimida enorme. Obras que deveriam ter sido feitas há tempos, necessidades básicas que foram sanadas apenas nos últimos quatro anos. Destaca o saneamento básico que nunca chegou à bairros mais periféricos da cidade.

         O vice se mostra confiante na campanha e afirma que da parte da sua coligação  todo o processo será feito de maneira limpa, sem ataques e ofensas aos outros candidatos.

"Nós só precisamos relembrar o que já foi feito e reforçar os demais compromissos. As agressões ficarão para aqueles que não tem coisas positivas para mostrar".