10/07/2012

Crime eleitoral: O Sete de Outubro começa com prisões.


                                               Professor sendo apresentado na Delegacia

A Polícia agiu com rapidez e organização  nesta  madrugada  e,   dessa forma neste  sete de outubro , dia em que pelo menos 130 mil  imperatrizenses vão às urnas votar para  vereador e prefeito,  efetuou diversas operações que resultaram na prisão de  cabos eleitorais e até de um candidato a vereador praticando crime eleitoral.

Na primeira operação a Policia fez a prisão em flagrante do professor José Parente, cabo eleitoral da candidata a prefeita Rosangela Curado  que chegou a gravar até peças publicitárias para a candidata no programa eleitoral.

Pelas informações o professor estaria distribuindo um jornal apócrifo  que atava a honra e a imagem  do candidato a prefeito Sebastião Madeira e de alguns vereadores. Constatado pela Polícia o ato criminoso, o professor foi conduzido à sede da Polícia Federal sendo ali autuado em Flagrante.

Outra ação rápida da Policia aconteceu no bairro Bonsucesso. Ali foi preso o candidato a vereador conhecido por Azevedo, que integra a coligação comandada pela candidata a prefeita Rosângela Curado. 

O candidato foi apanhado em flagrante com um caderno com a relação nominal, seguido do número do  título de eleitor de pelo menos 400 pessoas, caracterizando crime eleitoral. Foram encontrados também panfletos e cartazes da candidata Rosângela Curado. O candidato foi autuado em flagrante na sede da PF, no Conjunto Planalto.

Suspeita de crime eleitoral.


Ainda no começo da tarde/noite de ontem uma movimentação, incomum  de pessoas, na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL),  que funciona nas dependências do Palácio do Comércio,   chamou a atenção da Policia e do Ministério Público já que surgiu a suspeita de um crime eleitoral ( compra de votos) em andamento. 

O encontro  era promovido  por gente do “primeiro escalão da coordenação da campanha da candidata Rosangela Curado. 

Sobre o episódio o blogueiro Samuel Souza, que cobriu o caso,  escreveu em seu blog:

O promotor Sandro Pofahl Bíscaro que foi apurar a denúncia de possível compra de voto no Palácio do Comercial por parte de correligionários da candidata Rosângela Curado (DEM), confirmou que achou muito suspeita a ação às vésperas das eleições. Para o promotor público, existe uma espécie de “maquiagem de contratação de fiscais destinadas à compra de votos”. Promotor confirma suspeita de compra de voto através de "contratação de fiscais"
                                                 Sandro Bíscaro, promotor eleitoral  

No comecinho da noite deste sábado, 6 de outubro de 2012, cerca de 2 mil pessoas foram conduzidas para algumas salas do CDL (Clube de Dirigentes Logistas), no Palácio do Comércio, na Rua Bom Futuro, Centro de Imperatriz, para receber dinheiro de “boca de urna” promovida pelo coordenador da candidata Rosângela Curado, conhecido por Chico Brasil, considerado um expert na chamada “arte” de aliciamento de eleitores. 

Informações colhidas in loco dão conta que desde as 20 horas que uma patrulha da PM e o promotor eleitoral, Sandro Bíscaro, encontram-se no CDL tentando desarticular a gigantesca boca de urna.

O clima é bastante tenso e há informações que uma tentativa de dispersão do material e dinheiro que seriam usados para boca de urna tenha sido frustrada pelo promotor eleitoral. 


Maioria dos chamados “boqueiros” é formada por taxistas lotação e mototaxistas clandestinos, todos motivados pela candidata do DEM com a promessa de regularização do serviço. 


COMPRADOR

Não é de agora que o presidente do CDL, Chico Brasil, faz compra de voto nas eleições em Imperatriz. 

O modus operandi dele também é conhecido e consiste na contratação centenas de pessoas para “trabalhar” no dia da eleição como fiscais. Tudo enganação para despistar as autoridades. No fundo o que ocorre mesmo é deslavada compra de votos. 

Na operação boca de urna 2012, Chico Brasil entrega a cada um dos “falsos” fiscais a importância de R$ 50,00