10/30/2012

O Caso da professora


Não é verdade que ela, a professora, tenha sido demitida pela publicação exclusiva da fotografia nas redes sociais.

Há muito a relação laboral da professora com a direção da escola já estava deteriorada com o registro de várias ocorrências. Em seis meses de trabalho, de acordo, com o resumo de pontos a professora já acumulava dez faltas.


Funcionários da escola, visitada, afirmam que por diversas vezes ela teve problemas de relacionamento com a coordenação, colegas de profissão, zelador e até com alunos,como é o caso de uma desavença com um aluno chamado por Adriano que teve a mochila arremessada para fora da sala de aula.


Por diversas vezes, de acordo com diretora Ivone Milhomem, a professora foi advertida quanto a sua conduta e não houve mudança de comportamento motivo pelo qual esta acabou colocada à disposição da Secretaria Municipal de Educação que optou pela rescisão do contrato (temporário) com a servidora, que havia sido incluída no sistema municipal por meio de um seletivo.


A direção da escola e a própria Secretaria de Educação,  consideram equivocado o comportamento da professora que no caso em questão, como primeira providência deveria ter retirado os alunos da sala ou suspendido a prova até que o temporal passasse. Ao contrário, preferiu expor os alunos ao ridículo ao instá-los abrir o guarda-chuva para que ela ( professora) pudesse tirar as fotos.

Ressalte –se que o dito episódio ocorreu num dia de chuva forte e de vento , em que vários imóveis, incluindo o prédio da Escola Guilherme Dourado, foram afetados.


As avarias foram consertadas no dia seguinte.

Considera o episódio um fato isolado e que não reflete a realidade da Rede Municipal de Ensino que no momento desenvolve um amplo programa de reestruturação física da rede de ensino com a a reforma e ampliação de escolas e a construção de novas unidades. Atualmente seis novas escolas estão sendo construídas e várias outras em fase de licitação.