11/21/2012

SEBASTIÃO MADEIRA NO IMPARCIAL: "Não vou dar uma de José Serra", diz prefeito de Imperatriz




Prefeito de Imperatriz nega que será candidato a vice-governador na chapa apoiada pelo Palácio dos Leões e garante que cumprirá quatro anos de mandato.


Aquiles Emir

De O Imparcial

Publicação: 20/11/2012 08:17

Recém-saído das urnas com uma das mais expressivas votações do estado (57% dos votos) para um novo mandato em Imperatriz, a segunda maior cidade do estado, o prefeito Sebastião Madeira (PSDB) nega que esteja em negociações com o Palácio dos Leões, a fim de se viabilizar candidato a vice-governador na chapa a ser apoiada pela governadora Roseana Sarney (PMDB).

“Também já ouvi essa história”, desdenhou ele, ao ser indagado sobre esta possibilidade, afirmando que tudo não passa de fantasias dos seus adversários, ainda inconformados com a derrota.

Madeira lembrou o que ocorreu em São Paulo, com José Serra, também do seu partido, para ratificar que não tem a menor vocação de interromper um mandato conquistado nas urnas para entrar numa nova aventura eleitoral. Serra, em 2004 foi eleito prefeito de São Paulo, mas renunciou em 2006 para se eleger governador do estado, cargo que renunciou em 2010 para concorrer à Presidência da República.

De acordo com o prefeito, se optar por uma disputa em vez de concluir o seu mandato, o povo de Imperatriz não o perdoará, por isto corre o risco de ser reprovado nas urnas se cair na tentação de uma nova candidatura.

Indagado sobre a possibilidade de seu partido ter candidato próprio em 2014, Madeira disse que “ainda é muito cedo para se tratar dessas questões”.

Ele disse ter convicção de que as informações sobre a eventualidade de sua candidatura a vice partem dos adversários que derrotou nas urnas, principalmente a facção liderada pelo presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB), “que não desejava a minha derrota, mas a minha morte”, revelou.

Presidência - Sebastião Madeira informou ainda que pretende ser o novo presidente do diretório regional do PSDB, hoje sob o comando do deputado federal Carlos Brandão. A convenção está marcada para o mês de agosto do próximo ano e até lá pretende conversar com as lideranças tucanas, a fim de que seja um processo sem fissuras, já que a legenda precisa de unidade para estar fortalecida na eleição de daqui a dois anos.

Indagado se acredita na aposentadoria política do prefeito de São Luís, João Castelo, como foi anunciado no dia em que admitiu a derrota para Edivaldo Holanda Júnior (PTC), Madeira foi taxativo ao dizer que isto não vai acontecer.

“Nós do PSDB não queremos, a família dele não quer e a população de São Luís não vai deixar isto acontecer”, acrescentou, destacando ser Castelo uma das maiores lideranças políticas do Maranhão.

Ao analisar o desempenho da legenda tucana em São Luís, o prefeito de Imperatriz disse que João Castelo sofreu uma oposição muito agressiva, desde os primeiros dias do seu governo, “mas pensávamos que pudéssemos reverter isto ao longo da campanha, o que infelizmente não ocorreu”. Para ele é muito difícil explicar o que realmente ocorreu.

Desafios


Sebastião Madeira diz que neste segundo mandato são muitos os desafios a enfrentar, principalmente na área de infraestrutura, pois a cidade é a que mais tem recebido os impactos do desenvolvimento por que passa a região tocantina como um todo, com atração de vários empreendimentos, dentre eles a usina de papel e celulose que será construída pelo Grupo Suzano, a maior da América Latina. Ele disse que muitas destas obras carecem de parceria entre a prefeitura e os governos estadual e federal, que não medirá esforços para ampliar os entendimentos com ambos.

Uma das obras mais reivindicadas neste momento é a duplicação da BR 010 (Belém-Brasília), pelo menos no trecho que corta boa parte da cidade. Trata-se de uma estrada fundamental para o desenvolvimento do município, pois faz a integração das regiões Norte e Centro-Oeste e é por onde trafegam muitos veículos que convergem dos municípios vizinhos para a Imperatriz.