2/14/2013

Carnaval da Alegria: “resumo da ópera”



Príncipes e princesas, reis e rainhas; plebéias e plebeus estiveram juntos nos  quatro dias do Carnaval da Alegria, realizado pela Prefeitura com o apoio do Governo do Estado. Foi um dos mais seguros e animados carnavais de todos os tempos.  Nos circuitos da  folia os brincantes respeitaram  o decreto do rei momo  Paulo Henrique I  assinado no dia em que este recebeu a chave da cidade  do prefeito Sebastião Madeira,   de banir qualquer ato de violência.


ESTRUTURA E SEGURANÇA


Assim como nos anos anteriores, uma grande estrutura foi montada para o Carnaval de Imperatriz. Além dos palcos, na Praça da Cultura e na Beira-Rio, em todos os pontos da folia foram  distribuídos banheiros químicos .

“Pensamos em todos os detalhes,  para garantir uma boa festa” destacou o prefeito Madeira que acompanhou toda a movimentação pela internet. “ Fizemos um grande carnaval” completou o prefeito.

Saúde, meio ambiente, Comunicação,  Defesa Civil, trânsito  e infraestrutura  foram organismos do Governo mobilizados  pelo prefeito para dá suporte  à Fundação Cultural para a organização da festa.

No que diz respeito a segurança, todas as medidas necessárias já foram tomadas. A Polícia Militar está destacou um efetivo de 150 homens para fazer a segurança de todo o carnaval, além do corpo de bombeiros e o SAMU sempre  de prontidão para. Seguranças particulares  formaram uma força auxiliar e também ajudaram..   

Nada atrapalhou o bom andamento do Carnaval da  Alegria. Todos fizeram seu papel: a comissão organizadora, o folião, que se divertiu com responsabilidade, e a Polícia Militar, que produziu, de fato, uma sensação de segurança. Era Polícia pra tudo quanto é lado.


Diferencial.

Uma novidade implantada este ano  no  Carnaval de Imperatriz foi o concurso diário de fantasias. Era uma fantasia mais bonita e significativa do que a outra.  Borboletas, Joaninhas, Elfas,  Mumias, sheik árabe,   famosos,  e super heróis. Valeu de tudo.

Para o comerciante João Roberto Lima, o carnaval de rua de  Imperatriz foi um campo perfeito para ele e sua família. “Esse ano acompanhei a Jardineira todos os dias. É um ambiente muito agradável, onde podemos levar as crianças, brincar em paz e com aquele clima de carnaval de rua que não existia mais.” Declarou o folião que confirmou a fantasia  que este  ano brincou de pirata

Sinistro

No geral tudo poderia ter terminado bem se não fosse um louco num carrão de luxo ter atropelado  na Nova Imperatriz o casal  Celso Victor e Vera Silva, esta última acabou morrendo.

 No volante de uma Hilux, segundo testemunhas, um rapaz de aproximadamente 25 anos já identificado pela Policia e que já  negou a autoria dos atropelamentos.  O carro se encontra apreendido no Complexo Social da Sousa Lima. A Policia trabalha para esclarecer  o episódio.