2/14/2013

Mulher atropelada e morta na Nova Imperatriz será sepultada na manhã desta sexta-feira. Investigações avançam.


                                          Vera Silva, sepultada no Sao João Batista

O corpo da jovem Vera Lúcia, velado na Rua São Bento na Nova Imperatriz,  será sepultado agora pela manhã no cemitério São João Batista. O marido dela  o policial português   Celson Vitor continua internado no Hospital Municipal e não corre risco de morte.

A policia continua a investigar o caso no sentido de determinar o mais rápido possível  a autoria do atropelamento  que resultou na morte de Vera Lúcia e em ferimentos em mais três pessoas.
                                                              Celso Vitor, no HMI

O ex- marido de Vera, o Policial Militar Ivan, que serve no Terceiro BPM sediado em Imperatriz, e que por coincidência estava de serviço no dia do acidente foi quem conseguiu localizar numa oficina mecânica da cidade a Hilux   preta envolvida no fatidico.

Uma fonte que acompanhou o trabalho do policial disse que na hora da abordagem o dono da oficina ficou muito nervoso. Ele deve ser ouvido no inquérito policial aberto para apurar o caso.

O dono do veículo, acompanhado de advogados,  esteve na Delegacia de Policia e negou o atropelamento. Alegou que não estava na cidade no momento do acidente.

Uma  outra fonte informou que horas antes do acidente que vitimou fatalmente Vera Lúcia a Hilux suspeita de envolvimento no sinistro fora vista na contramão na Rua Ceará.  Um cliente de um lanche localizado naquele setor teria anotado a placa do veículo, este também deverá ser arrolado como testemunha.

Do dia do acidente até agora, pelo que se informa, a Polícia Civil já conseguiu reunir elementos suficientes que apontam para a elucidação do caso.

Espera-se que nas próximas horas o diretor regional de segurança Assis Ramos, convoque a imprensa para prestar maiores e melhores informações. 


Vera morava há  muito tempo  na Cidade do Porto,  Portugal e  sempre que possível  vinha passar as festividades de final de ano com a família, que mora na Rua São Bento, na Nova Imperatriz.  Dessa vez, o marido   Celso Vitor Pinto  Almeida que é membro da Guarda Nacional Republicana de Portugal, o equivalente à Policia Militar Brasileira,  veio junto. O casal retornaria em Março para Portugal.

O acidente ou  assassinato de Vera   aconteceu nas primeiras horas da quarta-feira de cinzas quando ela e o marido voltavam para casa depois de uma rápida passagem na folia momesca que acontecia na  Praça da Cultura.