4/19/2013

Prefeitura de Imperatriz garante parte dos recursos para realização do SALIMP





Outro patrocinador que também está mantendo sua cota é a ELETROBRAS

               Domingos Cezar                                                                                           
            
“Com as graças de Deus o XI SALIMP – Salão do Livro de Imperatriz vai acontecer porque é um evento que não é mais somente da Academia de Letras, mas de toda Imperatriz”. A informação foi prestada na tarde desta quarta-feira (18), pela presidenta da Academia Imperatrizense de Letras (AIL), professora e escritora Edna Ventura.

            Ela participava de uma reunião da coordenação do Salão do livro, cuja 11ª edição vai se realizar no Centro de Convenções de Imperatriz, no período de 10 a 19 de maio. “O tempo urge, mas a maioria dos acadêmicos encontra-se mobilizada para que, mesmo com poucos recursos, possamos realizar um evento maior que no passado”.

            Edna Ventura lamentou que, até o momento, apenas dois patrocinadores do mega evento manifestaram- se em permanecer com sua cota de patrocínio. Uma das patrocinadoras, desde o primeiro ano de mandato do prefeito Sebastião Madeira, a Prefeitura de Imperatriz, por intermédio de Madeira, confirmou sua participação como patrocinadora.

            “O prefeito Sebastião Madeira notou nosso esforço em conseguirmos mais patrocínios e nos garantiu que a Prefeitura Municipal vai se fazer presente, inclusive, com a efetiva participação da Secretaria Municipal de Educação”, informou Edna Ventura, ressaltando que a presidência da Eletronorte também confirmou sua participação.

            A presidenta da AIL procurou os deputados estaduais com residência em Imperatriz, para que estes colocassem em suas emendas parlamentares pelo menos R$ 40 mil, que somados, chegaria a casa de R$ 160 mil. “Isso é pouco demais para um evento dessa magnitude, porém, muito nos ajudava a manter as despesas”, observa Edna Ventura.

            Ela informou que a Casa de Letras não desiste de correr atrás dos patrocinadores. Agora mesmo o vice-presidente da AIL, Agostinho Noleto, está tentando conseguir recursos do governo do estado, em São Luis, onde está visitando várias secretarias. “Enquanto em Imperatriz, todos trabalham para organizar o evento literário”.

            A presidenta da AIL observa que a cobrança de ingresso na portaria do Centro de Convenções certamente cobriria boa parte das despesas. “Entretanto, não criamos e mantemos o Salimp com esta finalidade. Criamos sim para estreitarmos as relações em estudantes e autores, bem como estimular as pessoas, independente de idade, a ler mais”.

            De acordo com Edna Ventura, como não tem recursos, a AIL não pode trazer para o evento personalidades como Ariano Suassuna, Chico César, Gabriel Pensador, Domingos Meireles, Caco Barcelos, entre outros desse quilate. “Mas estamos providenciando a vinda de outros que cobram cachês mais baratos”, garantiu Edna Ventura.

            Da reunião da coordenação participaram além da presidenta, os acadêmicos Zeca Tocantins, Gilmar Pereira, Adalberto Franklin, Itaerço Bezerra, Antonia Arlene Azevedo, Domingos Cezar, Tereza Bom Fim e Maria Helena Ventura. A Coordenação já está com a programação praticamente fechada, conforme garantiu Adalberto Franklin.