11/07/2013

ARTIGO: OUTRA IMPERATRIZ

Imperatriz está mais bonita, toda iluminada, cheia de novos prédios, novas empresas; um curso de medicina publico, prestes a iniciar, outros dois (privados) em vias de autorização pelo Ministério da  Educação;  teatro lotando, uma plêiade de cantores, escritores, poetas, atores, artistas plásticos, produzindo e agitando a vida cultural da cidade; novos serviços médicos,  como o tratamento de retina (a primeira cirurgia já foi até feita), e o  transplante de rim sendo implantados;  situações recentes que revelam a  viabilidade da cidade e  a certeza de que finalmente  esta encontrou seu rumo.   


No dia a dia do prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira a preocupação de receber bem os investidores e  facilitar, dentro dos mandamentos legais, para que aqui se estabeleçam e contribuam com o desenvolvimento econômico  da cidade.  

É visível que outra Imperatriz começa a aparecer, e a deixar para trás aquela pequena povoação fundada por Frei Manoel Procópio na segunda metade do século XIX.
 
Um olhar mais atento e vem logo a percepção do surgimento, simultâneo, de várias outras 
“Imperatriz”. Verdadeiras cidades, na horizontal e na vertical, sendo erguidas nos quatro cantos da cidade aquecendo os diversos setores produtivos do município gerando oportunidades de negócios e abrindo novos postos de trabalho.
Às margens da Ferrovia Norte Sul, próximo ao Posto Vale do Sol , num local que antes era fazenda, foram erguidas mil casas  populares do Programa Minha Casa Minha Vida dando origem ao residencial Itamar Guará já totalmente ocupado pelas famílias sorteadas pela Caixa e  pela Prefeitura.  

No Bom Jesus, bairro que mais cresce na cidade, a Prefeitura vai recomeçar, em parceria com o Governo Federal (PAC), uma “outra cidade”: o residencial Dom Afonso Felipe Gregory formado por 800 casas. No mesmo setor, estão sendo construídas mais mil habitações do Programa Minha Casa Minha Vida, o Residencial Teotônio Vilela.  Também  é ali no Bom Jesus que foi construído o moderno Campus da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), onde vai funcionar o curso de medicina. 
 
“Na estrada de João Lisboa” não são poucos os investimentos no setor imobiliário. Diversos condomínios horizontais estão sendo erguidos. Na estrada do arroz, idem. Ali será a via de acesso para a Fábrica da Suzano Celulose, indústria em vias de conclusão.

Naquele mesmo setor, logo após o Sumaré (atrás do IFMA) estão sendo construídas mais cinco mil unidades habitacionais que darão origem a dois outros residenciais do Minha Cada Minha Vida: o Canto da Serra e o Sebastião Regis.  A Prefeitura atualmente efetua as inscrições para o sorteio dos futuros moradores.
 
Na Quinta do Jacob há muito se estabeleceu uma “nova cidade”. Lá, tantos outros condomínios já foram erguidos e muitos ainda  serão levantados. Tudo isso, sem falar no crescimento vertical.  Nos últimos anos dezenas de prédios de apartamentos foram erguidos, vendidos e ocupados.

Tem ainda a chegada de novos investimentos comerciais e de prestação de serviços. Só hotéis são três que chegam para suprir a  demanda de leitos. Um, do mesmo grupo que controla o Shopping Imperial,  já foi inaugurado; outro, na Getúlio Vargas, já entrou na fase de acabamento.  O terceiro, na Bernardo Sayão, em frente ao 50 BIS,  está com as obras bem adiantadas. 
 
Há muito, nas inúmeras construções em andamento, faltam pedreiros, carpinteiros, eletricistas, armadores etc. Alguns empresários para não parar os investimentos trazem de fora seu pessoal; outros, mais ousados, optaram pela realização de cursos internos para promover ajudantes, a pedreiros e mestres.

São muitas obras em andamento o que significa mais gente, mais demandas por serviços públicos e privados, mais postos de trabalho, mais carência por  mão de obra, mais espaço para profissionais qualificados.

Problemas?  Existem e sempre existirão, mas é possível diante do que se descortina,  uma visão positiva do futuro da cidade principalmente porque hoje é conduzida por um gestor com um olhar para frente e que não tem criado obstáculos para o surgimento de novas atividades econômicas ou para quem queira aqui se estabelecer.

Imperatriz destravou e melhora a cada dia.