12/14/2013

Moradores da Vila Cafeteira, em Imperatriz, comemoram conquista do título de propriedade




 “Agora, eu sou feliz porque minha casa está toda regularizada”. Com essas palavras Jovelina Ferreira definiu o sentimento de receber o título definitivo de propriedade da residência onde mora, na Vila Cafeteira, em Imperatriz. Assim como ela, mais de 1.300 moradores do bairro também receberam o benefício.

 A ação é resultado do programa de regularização fundiária realizado pelo Governo do Estado na localidade.

A solenidade de entrega dos títulos ocorreu na quarta-feira (11) e contou com presença da governadora Roseana Sarney; de secretários de Estado, como Hildo Rocha (Cidades e Desenvolvimento Urbano) e Luis Fernando Silva (Infraestrutura); do senador João Alberto; deputado federal Francisco Escórcio; deputados estaduais Leo Cunha e Antônio Pereira; prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, entre outras autoridades.

Na ocasião, o líder comunitário Raimundo José Bezerra, mais conhecido como Pipoca, afirmou que o título é o sonho de uma vida. Ele disse estar feliz porque o governo atendeu prontamente o pedido dos moradores. “Como o Natal está se aproximando, é um presente muito especial para quem está recebendo o seu título. Só temos a agradecer ao Governo do Estado, que ouviu a nossa comunidade”.

Um dos principais benefícios apontados pelos moradores é a possibilidade das famílias buscarem financiamento para custear a reforma de suas casas. “Agora, eu vou terminar a minha casa e garantir uma vida com mais conforto para minha família”, afirmou, orgulhosa, Deusimar da Silva, moradora da Vila Cafeteira há 20 anos.

Histórico


O bairro Vila Cafeteira nasceu há cerca de 25 anos. O processo de regularização da área foi iniciado em março de 2012, quando aconteceu a primeira reunião entre representantes do governo e a comunidade.

O secretário Luís Fernando Silva, que à época respondia pela pasta da Casa Civil, ressaltou que a regularização da área foi um compromisso firmado pela governadora Roseana Sarney de criar condições para que o cidadão maranhense tenha uma habitação regularizada. “Agora, a vida de vocês vai ser diferente, porque será numa casa regularizada, própria, de papel passado”, ressaltou o secretário.

Dentro do processo de regularização, foi realizado o georreferenciamento da área demandada e o levantamento do terreno a ser demarcado. Na planta geral e no memorial descritivo do bairro, constam 28 hectares de área, com a distribuição de 1.320 lotes residenciais.

Esse trabalho é resultado de parceria entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), Instituto de Terras do Maranhão (Iterma) e Empresa Maranhense de Administração e Recursos Humanos e Patrimônio (Emarhp), com a Prefeitura de Imperatriz.

De acordo com a Secretaria de Cidades e Planejamento Urbano, o processo de regularização está finalizado. “Esse era um trabalho complexo. Já são quase dois anos. As pessoas vão receber não apenas a escritura, mas também o registro do imóvel”, afirmou o secretário Hildo Rocha