12/31/2013

Secretaria de Municipal de Saúde ampliou serviços e melhorou a qualidade da saúde em Imperatriz





 


Ao falar em saúde pública no Brasil, a imagem que nos vem à cabeça, é do caos - representado nas filas de espera para consultas, cirurgias e até mesmo para atendimentos de urgência e emergência nos prontos socorros. Pensando nestas questões, a secretária municipal de saúde de Imperatriz, Conceição Madeira, fala à nossa reportagem e faz uma análise da sua gestão, refletindo as principais ações de 2013, que para ela incide numa situação diferente das encontradas em grandes centros do país.

            Ao iniciar a conversa a secretária tocou num ponto complexo, ao afirmar que gerenciar as questões da saúde pública de Imperatriz que atende cerca de um milhão de pessoas (oriundas de diversas cidades da região), é uma tarefa quase impossível de ser realizada; mas que ela está imbuída num processo de mudança que visa a melhoria do acesso e a qualidade da saúde dos imperatrizenses. Enfática ao ser questionada sobre as dificuldades, Conceição Madeira coloca: “Problemas? Temos! Mas procuramos resolvê-los na medida do possível”.
            De acordo com as estatísticas apresentadas pela Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), Imperatriz teve um salto significativo e marcante no processo de mudanças propostos pela atual gestão. “A saúde pública de Imperatriz começou este ano buscando ampliar seus serviços e melhorar os já implantados. Para isso, fizemos mudanças nas coordenações e readequamos espaços em diversos setores da saúde – o que implicou em melhorias nas condições de trabalho dos nossos funcionários e melhor atendimento aos usuários do SUS”, afirmou Conceição Madeira.

Conquistas - Ela ressalta que ao falar nas conquistas no decorrer deste ano, as primeiras que vêm à cabeça e que a deixam muito emocionada são: Realização de Transplante Renal pelo Sistema Único de Saúde (SUS), Chegada da Unidade Móvel de prevenção e Combate ao Câncer, Implantação das Academias da Saúde, Reforma e Construção de Unidades Básicas de Saúde, Credenciamento da Residência Médica no Hospital Municipal, implantação da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia - UNACOM (que está em fase de conclusão) e reestruturação da Saúde Mental com implantação da Residência Terapêutica.


Transplante – 
Para a secretária realizar o primeiro transplante renal é resultado de são passos que foram dados a partir do engajamento e sonhos de diversos atores envolvidos no processo. 

“O transplante renal é uma luta de anos dos urologistas de Imperatriz, e hoje está incluso no portfólio de procedimentos médicos do SUS e traz esperança para centenas de pacientes que dependem de hemodiálise e são praticamente escravos de uma máquina que filtra o sangue, duas ou três vezes por semana.

Oncologia – 

“No que se refere à oncologia, a chegada da Unidade Móvel com a implantação da UNACON proporciona uma logística de prevenção e tratamento do câncer a nível de 1º mundo, o que vai dinamizar todo o processo, salvando mais vidas”, declara.

Reconhecimento - Conceição Madeira, informa que o mais gratificante para sua gestão, além dessas conquistas, é ver o reconhecimento por parte do Ministério da Saúde (MS) que em Imperatriz verificou o funcionamento dos serviços preconizados pelo órgão, e parabenizou a SEMUS pela excelência do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU); pela cobertura vacinal realizada pelo Programa Municipal de Imunização; pelo resultado das ações do Programa Municipal de Controle da Tuberculose – considerado referência no Estado e pelo trabalho desenvolvido pelo Consultório na Rua – primeiro e único do Maranhão e referência do norte/nordeste.


Satisfação - Além disso, ela relata que a satisfação está principalmente na alegria dos usuários do Sistema Único de Saúde que encontram o tratamento que necessitam, como é o caso de Maria Luzilene, avó de Carlos Henrique que faz acompanhamento no Programa Municipal de Equoterapia, mantido pela SEMUS e se diz muito satisfeita com o resultado: “Quando iniciamos o tratamento de Carlos Henrique, ele só andava de joelhos, e agora ele já consegue andar normalmente sozinho. Isso aqui pra mim é uma bênção, é tudo! Porque eu já estava até perdendo a esperança de vê-lo andar”, informou a avó em depoimento prestado a reportagem.


            Assim como Wiliam Lopes dos Santos de 18 anos, que teve a perna esquerda amputada em decorrência de um acidente há dois anos, e adquiriu por meio do Programa Órtese e Prótese, também administrado pela SEMUS, uma perna mecânica. Para ele, o trabalho da SEMUS, devolveu-lhe a possibilidade de retomar a rotina que tinha antes de perder a perna: “O sentimento agora é de ter um convívio social melhor, ou como caracterizado pela maioria, normal. Ou seja, a partir de agora minhas limitações serão reduzidas e eu poderei realizar uma série de atividades”.

Atenção Básica - Para Conceição Madeira, todas estas questões administradas pela gestão municipal demonstram que a complexidade da saúde pública vai muito além de urgência e emergência. “Eu só quero mostrar a população de Imperatriz que na nossa estrutura temos funcionando a contento 34 Postos de Saúde, 42 Equipes da Estratégia Saúde da Família e 26 programas. Tudo em prol da medicina preventiva, que ainda é o melhor remédio”, explica.

Hospital Municipal - 

A gestora informa ainda que segundo dados registrados, o HMI (Socorrão) que é o Hospital de referência para cerca de 50 municípios que totalizam um milhão de habitantes, realiza todos os meses 15 mil atendimentos, com picos de até 17 mil; Faz 500 cirurgias mensalmente e serve mais de 500 refeições por dia aos pacientes e acompanhantes - comida de qualidade com acompanhamento nutricional. Ela afirma que nunca se investiu tanto em saúde pública em Imperatriz.

“Além dos repasses constitucionais, o tesouro municipal tem contribuído com pelo menos dois milhões por mês para manter o funcionamento da estrutura que hoje atende ao Maranhão, parte do Estado do Tocantins e do Pará”, ressalta.

Outras conquistas da saúde em 2013

* Imperatriz foi o primeiro município do Brasil a realizar teste rápido para diagnóstico da hanseníase, o que deu celeridade ao processo de detecção e tratamento da doença.  

* O atendimento de saúde a moradores de rua, realizado pelo Consultório na Rua é considerado referência da região norte nordeste.
* O município é considerado hoje pelo Ministério da Saúde, referência em cobertura vacinal, o que tem influenciado na melhoria na saúde das nossas crianças, idosos e gestantes.
* O Ministério da Saúde contemplou o município recentemente com mais dez unidades do SAMU resultado da boa avaliação do serviço ofertado em Imperatriz feita recentemente por técnicos do próprio MS.
* Ampliação do Programa Municipal de Equoterapia que beneficia a população com mais de 300 atendimentos por mês, realizado por uma equipe multidisciplinar composta por Fisioterapeuta, Pedagogo, Educador Físico, psicólogo, Fonoaudiólogo, Equitador e dois guias.
*Ampliação do quadro funcionários por meio de concurso público;
* Ampliação do Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD);
* Implantação das Academias da Saúde;
* Adesão ao Pré-natal de baixo risco nas Unidade Básicas de Saúde (UBS), com aumento da oferta de exames e diminuição no tempo para emissão dos resultados.

No Hospital Municipal Socorrão:
* Credenciamento da Residência Médica
*Implantação de uma ala para os portadores do vírus HIV;
* Implantação de uma ala toda climatizada para os pacientes urológicos;
* Implantação da ala de oncologia para atendimento aos pacientes com câncer;
*Implantação de diversas comissões, dentre elas a Comissão permanente de sindicância, Comissão permanente de farmácia e terapêutica, Comissão de ética em pesquisa, Comissão de óbito, Comissão de revisão de prontuário e Comissão de transplante e captação de órgão;
* Implantação do controle químico e biológico da água;
* Reformas na central de esterilização segundo as normas da ANVISA, e demais setores;
* Criação da central de regulação de uti´s;
*Criação da sala para fisioterapia infantil;
* Criação do repouso climatizado para funcionários;
* Criação do regimento interno da comissão de controle de infecção hospitalar;
* Criação da sala de coleta de sangue no ps;
* Criação da enfermaria para cirurgia eletiva;
* Ampliação do número de salas cirúrgicas;