4/09/2014

Opinião: Terceira Via, com PPS e PSDB, pode se fortalecer com a desistência de Luís Fernando.


Passado o período da turbulência  em torno da desistência de Luís Fernando da pré-candidatura ao governo do Estado  as conversas politicas  se multiplicam e  a partir destas podem surgir novos rearranjos que num primeiro momento  já devolvem a importância a dois  grande partidos  do Maranhão-PSDB e PPS-   que até a semana estavam  espremidos entre os projetos de Luís Fernando, apoiado pelo grupo comandando pela governadora Roseana Sarney  e do comunista Flávio Dino.

O PPS, que ensaia a candidatura da deputada Eliziane Gama, antes do “fator Luís Fernando, pelas conversas de bastidores estava a um passo de ser capitulado  pelos comunistas,   e  até alimentava  a possibilidade de indicar o vice, possibilidade rifada já que a vaga parece que vai mesmo para o PDT;   o PSDB por sua vez,  vinha flertando com os dinistas, contudo,  outra corrente do partido, essa comandada pelo prefeito Madeira, procurava viabilizar o apoio a Luís Fernando. 

O jogo, como  avalia o ex-deputado federal constituinte Onofre Correa em artigo publicado hoje em O Progresso, parece mesmo ter zerado. Os comunistas estão sendo  obrigados agora a arrefecer o “clima do já ganhou”  já que,  juntos,  PPS e  PSDB,  nesse novo formato  politico nascido com a desistência de Luís Fernando, podem se  fortalecer  de fato como uma terceira via, uma alternativa às candidaturas de Dino e do possível substituto de Luís Fernando, o senador Lobão Filho.


PPS e PSDB abrigam lideranças políticas com voto e influência politica  no Estado suficiente para juntos gestarem um projeto competitivo para disputar o Governo do Maranhão.