5/28/2014

EX- GROTA: começa a pavimentação da Rua José Alencar: Obra realizada em parceria com o governo do Estado acaba com anos de esgoto a céu aberto e realiza o sonho dos moradores do Bom Sucesso.

O ANTES E O  DEPOIS
Iniciada ontem a penúltima etapa da drenagem e pavimentação da Rua José Alencar, no Bairro Bom Sucesso. O antigo esgoto a céu aberto que por décadas tomou conta da ‘Grota José Alencar’ foi drenado, terraplanado, imprimado e agora recebe pavimentação.

“A ultima etapa é drenagem superficial com meio fio, sarjeta e sinalização”, observa o prefeito Sebastião Madeira ao destacar que a obra é fruto de parceria entre a Prefeitura de Imperatriz e o Governo do Estado: “O trabalho foi desenvolvido com recursos de convênio assinado entre Prefeitura e Governo do Estado, com investimento de aproximadamente dois milhões de reais”.

A obra iniciada a pouco mais de um ano, concretiza o sonho da população residente no Bom Sucesso de não sofrer mais com suas moradias invadidas pelas cheias do riacho em períodos chuvosos e com o mau cheiro do esgoto. Além disso, a rua obstruída pela passagem do esgoto não possuía estrutura para o acesso de veículos. Agora ambos os problemas estão resolvidos.

“Foi um trabalho minucioso, pois foi necessária drenagem profunda em linha dupla de mais de 500 metros para canalizar o esgoto e possibilitar o escoamento da água de forma subterrânea, isso debaixo de sol e chuva”, explica Roberto Alencar, titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra).
                                              O   ANTES  E O  DEPOIS

Satisfação – Desde o inicio da obra os moradores da  Rua Jose Alencar a vias do entorno acompanharam de perto a realização do serviço e reconhecem que todo o bairro mudou de feição. “A marca do Bom Sucesso era a grota. Nos tínhamos vergonha de receber visitas por conta do mau cheiro. Vivíamos sonhando em sair daqui. Mas de um ano pra cá tudo mudou de figura. Quem tem casa aqui não quer vender. Quem tem terreno, quer construir. Agora, as casas aqui têm mais valor e nossa rua e todo o bairro agora não são mais discriminados”, relata vendedora Neuma Cristina dos Santos.

Kayla Pacheco - ASCOM