5/18/2014

Produtores recebem apoio da Prefeitura para realizar vacinação contra brucelose



A ação é realizada desde 2009. Cerca de seis mil reis de pequenos produtores da Agricultura Familiar são vacinadas anualmente .

Desde 2009 os produtores que fazem parte do Programa da Agricultura Familiar, recebem da Prefeitura de Imperatriz, em parceria com a Agencia Nacional de Defesa Agropecuária (AGED), o apoio necessário para vacinação de rebanhos com idades de 2 a 8 meses.  Além do apoio no processo de vacinação, a Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Produção (SEAAP) também realiza palestras voltadas para manuseio de pastagem, mineralização, ordenha e manejo do gado.

Atualmente o número de produtores beneficiados aumentou de 128 para 528. Dos 18 povoados beneficiados com a ação, 12 deles já tiveram de palestras realizadas sobre a gravidade dessa doença e sobre as precauções que devem ter para garantir qualidade na produção.

De acordo com o secretário adjunto da SEAAP, Hélio Gregório, ação é desenvolvida para garantir que os pequenos produtores possam ter os rebanhos vacinados, sobretudo com o máximo de segurança. Explica também que por se tratar de um vírus vivo somente os profissionais da área podem realizar o procedimento. Devido o risco de contaminação da vacina, ele assegura que a medida visa eliminar a possibilidade contágio dos produtores.

“A SEAAP quer garantir a qualidade e a segurança do processo de vacinação. O vírus da vacina é vivo, então é de suma importância que o responsável pela vacina seja preparado para realizar o procedimento, caso contrário pode se contaminar, e também trazer sérios problemas para o rebanho, sobretudo para quem vier a consumir tanto o leite quanto a carne do animal”.

Em função do alto custo para a vacinação, a SEAAP passou a oferecer auxilio para pequenos produtores do município que possuem rebanhos com no máximo 12 reis (cabeça de gado). Desde o início da ação, quase 30 mil reis foram vacinadas. Cerca de seis mil por ano. O investimento anual do município para garantir a estrutura adequada e a vacinação desses rebanhos está orçado em aproximadamente 36 mil reais.

Para João Mendes, que desde 2009 recebe o benéfico, a ação representa uma ajuda significativa para os pequenos produtores, sobretudo por evitar um gasto que segundo ele é um investimento caro. “Só o custo com o veterinário equivale a um salário mínimo. E, além disso, ainda há outras despesas como, por exemplo, o deslocamento e a própria vacina. Mas o beneficio que recebemos da prefeitura nos livra de todos esses gastos”.

Segundo Hélio Gregório, a SEAAP disponibiliza toda a estrutura para vacinar o rebanho. Além disso, ferra o os animais e dá ao proprietário o atestado de vacinação, documento que comprova que o animal foi vacinado. “A SEAAP arca com os gastos das vacinas, e transporte de técnicos e veterinários para vacinar os rebanhos dos pequenos produtores contemplados pelo projeto”. Para os produtores que ainda não vacinaram os rebanhos, o secretário informa que é necessário que os interessados se dirijam até a associação nas quais são cadastrados, para fazerem a solicitação. Após isso o responsável pela associação encaminhará para a SEAAP, e em seguida a os técnicos da prefeitura juntamente com veterinários da Aged vão até a localidade para vacinar a reis.

Brucelose- A brucelose é uma doença que normalmente acomete principalmente as fêmeas do rebanho, mas pode também infectar o reprodutor. Segundo Hélio, a doença oferecem riscos também para os seres humanos. “A pessoa que consome, seja o leite, carne ou até mesmo o contato com a ordenha, corre risco de ser infectado e ter sérios problemas de saúde”. Segundo definições da Organização das Nações Unidas (ONU), entre os bovinos a brucelose caracteriza-se por provocar abortos geralmente no terço final da gestação, nascimento de bezerros fracos, retenção da placenta, repetição de cios e descargas uterinas com grande eliminação da bactéria.
Eva Fernandes - ASCOM