6/13/2014

164 anos: Imperatriz encantos mil. Um belo pedaço do Brasil.


Não há qualquer nesga de dúvida de que  esse é o período mais bonito do ano no lado de cá do Maranhão,  e agora temperado com o clima  gerado pela Exposição Agropecuária  e  a predominância dos "ventos gerais"    ficou mais bonito ainda.  Emoldurado pelo azul do Céu, o sol brilha mais, as pessoas ficam mais bonitas e atraentes, parecem mais felizes, mais animadas. É esse o sentimento que se extrai a partir de Imperatriz. É o chamado verão tocantino que chegou e que  se estende até o mês de outubro.

Em Imperatriz, o pôr sol ganha um colorido, uma magia, uma moldura  diferenciadas  por conta do Rio Tocantins.  Quem  para um pouquinho para presenciar   esse fenômeno não esquece jamais e imediatamente pensa: " Deus existe, e mora aqui" 

Nessa época do ano abre-se espaço para  a temporada de praias.  Além das nossas tradicionais Cacau, do Meio e do Amor, subindo ou descendo o Rio Tocantins, são dezenas  à disposição dos corpos e almas que ali queiram refestelar-se.

É época de praia, mas também das vaquejadas;  as do Sitio Novo, Amarante e Brejão, são as mais “faladas”,  dos  shows da  Terra , da Nativa e da  Levada;  da tão esperada cavalgada de Imperatriz, uma das maiores do Brasil,  da Expoimp, Exporfran e Expoagra; e da festa do aniversário de Imperatriz, que dia 16 Julho  completa 164 anos de fundação.

São eventos que mostram a alegria da nossa gente.  O povo da região tocantina é o mais bonito e alegre do Maranhão,  e talvez o que menos reclama da vida. Essa característica fica evidenciada  nas mesas dos bares, filas da loteria,  nas igrejas, praças, enfim em todo lugar.

Para quem mora por essas bandas  do Maranhão, por já se tratar de algo  incorporado ao dia-a-dia,   talvez não chame mais tanta atenção essas peculiaridades da nossa terra.


O maior patrimônio da região, não resta duvida, é a nossa gente, mas vale a pena falar, cantar, escrever sobre as nossas festas e as nossas belezas naturais.  Não temos o mar, mas temos rios, lagos, lagoas, cachoeiras,  morros, colinas e montanhas um pôr do sol e uma lua  lindos de viver.

Essa região do Maranhão  se torna ainda mais fascinante por abrigar pelo menos  três dos nove biomas brasileiros.  Por aqui aparecem o Cerrado,  Floresta Amazônica, Matas de Cocais e  até mesmo um resquício da Caatinga considerado um bioma único do Brasil.

Aqui nesse pedaço de  Brasil, a partir do município de  Estreito, a paisagem começa a mudar. Saindo da Br-010 entrando da BR 230 surge uma “verdadeira aventura do olhar”. 

 Antes da hidrelétrica do Estreito ali poderia ser encontrado o  Rio das Pedras que foi engolido pelo lago da Barragem, dando origem a uma nova paisagem. 
Quem passa por ali fica chocado. O mesmo choque se verifica quando se chega ao local onde  um dia imperava as corredeiras do Rio Farinha . Um pouquinho mais á frente formações rochosas pré-históricas começam a encher os olhos. 

Nessa época  o verde da vegetação se mistura  ao marrom das rochas. É entre  essas formações rochosas que se abriga um dos mais belos balneários do Estado do Maranhão: a Pedra Caída, famoso por suas cachoeiras. O dono do lugar hoje investe pesado para dota-lo de uma infraestrutura que possa atrair um número maior de visitantes.

 A  aventura do olhar não para.  Na  histórica Riachão, que hoje desponta como uma nova rota nacional do chamado ecoturismo,  se abriga mais um conjunto de cachoeiras.  A mais conhecida delas é a do Cocal, onde há  o famoso poço azul que já foi mostrado até em programas de TV de redes estrangeiras.

Um pouquinho mais á frente, chegando ao município de Balsas,  a paisagem muda radicalmente: aparecem os extensos campos de soja. São plantações de sumir a vista.  Um olha mais atento e se percebe que alguns desses campos hoje estão ocupados por plantações de milho.

Pouco visitada a bucólica Sambaíba  é uma cidade que também encanta por suas riquezas naturais. Banhada pelo Rio Balsas, afluente do Rio Parnaíba, Sambaiba distante 120 quilômetros da cidade de  Balsas,  abriga uma imensa e imponente Serra, perfeita, embora ainda não o seja, para a prática de esportes radicais.

Sendo obra da poderosa  mãe  natureza  ou,  mesmo da mão do homem; vale a pena conhecer as paisagens e as belezas do  Sul e Sudoeste do Maranhão.  Imperatriz é o portal para toda essa aventura.
 
Agora , plagiando o saudoso Reginaldo Rossi  ao cantar sua Recife,   Imperatriz é minha cidade e pra ela que puxo  mais a sardinha. Aqui tem encantos mil.


O povo daqui gosta de cantar
Tem religião, gosta de rezar
Tem cristianismo, tem candomblé
Tem muita cachaça e muita mulher
Tinha  Nenem Bragança, o papa festivais.
Tem Lena Garcia cantando belas cancões,
E na Praça da Cultura tem o carnaval de marchinhas
É o melhor do mundo
É sensacional
Imperatriz  tem encantos mil
É... É um pedacinho do Brasil.