6/11/2014

NUFAC: Inscrições para cursos de qualificação de jovens negros encerram dia 16.

Por Kayla Pachêco.

Estão sendo ofertadas 200 vagas para jovens com idade entre 15 e 29 anos. Inscritos no projeto receberão bolsa-auxílio de cem reais por mês durante o curso.

As inscrições para o Projeto Núcleo de Formação da Cultura Afro-brasileira (NUFAC) encerram na próxima segunda-feira, 16 de junho em Imperatriz. Estão sendo ofertadas 200 vagas para jovens negros de baixa renda na faixa etária 15 e 29 anos. Os interessados podem se inscrever na sede da Secretaria Municipal de Juventude (sejuv), anexo ao estádio Municipal Frei Epifânio D’Abadia em horário comercial.

O projeto é resultado de uma parceria da SEJUV com a Secretaria Municipal de Governo e Projetos Estratégicos (SEGOV),  Ministério da Cultura e Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Tanto as inscrições quanto a formação são oferecidas gratuitamente e serão realizadas nas dependências da secretaria.  Além disso, o coordenador do programa, Ciro Rodrigues, informa também que os jovens inscritos receberão qualificação profissional na área da cultura, com bolsa auxilio no valor simbólico de cem reais por mês durante o curso (10 meses), e encaminhamento para o mercado de trabalho.

“A proposta é capacitar jovens negros de área de risco na cidade, preferencialmente do Bairro Nova Imperatriz, área estabelecida no projeto. Mas pode contemplar jovens de outras áreas, caso as vagas não sejam preenchidas”. Ciro também informa que serão oferecidas capacitações nas áreas de produção de vídeo, assistente de produtor visual, áudio e web designer.

De acordo com o coordenador, Imperatriz foi o primeiro município contemplado com a proposta da Fundação Cultural Palmares, de Brasília, que é conveniada com o MIC.

Ciro reforça que todas as formações terão carga horária de 160 horas e que a certificação dos cursos será realizada pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). “O certificados serão emitidos pelo Grupo de Pesquisa Cultura, Direito e Sociedade, na modalidade de Extensão”. 
Kayla Pachêco - ASCOM