11/19/2014

Juízes pedem que Madeira busque apoio do novo governador para obra da nova sede da Justiça Estadual

 O prefeito Sebastião Madeira,  recebeu  na manhã desta terça-feira,  visita de cortesia do presidente da Associação dos Magistrados do Maranhão, Gervásio Protásio dos Santos Jr.  Mais do que uma simples visita,  o presidente que estava acompanhado do vice, Ângelo dos Santos,  dos juízes Adolfo Pires e Delvan Tavares, este último diretor do Fórum Henrique de La Rocque,  aproveitou o momento  para tratar de  assuntos de interesse da magistratura e que  de alguma forma dependem da participação  do município.
Na conversa com o prefeito os magistrados incluíram o pedido de  apoio   para este intervenha junto ao governador eleito  Flávio Dino, para que entre os compromissos assumidos para com Imperatriz incluam os recursos necessários para a conclusão do novo Fórum, cuja obra se encontra paralisada há um mês por falta de recursos orçamentários.  O novo fórum está sendo construído nas imediações da Faculdade de Imperatriz, setor onde  também  futuramente vai funcionar a sede do  Ministério Público Estadual e o Quartel do 14 Batalhão.

O prefeito se comprometeu que na conversa que terá com o novo governador incluirá, entre as reivindicações, os recursos para concluir o fórum, reconhecendo as dificuldades das atuais instalações.

Antes de entrar no assunto principal da  visita ao prefeito, o presidente da Associação dos Magistrados, que já foi juiz de direito em Imperatriz elogiou a cidade, na avaliação dele, hoje  muito melhor do que o tempo em que aqui foi juiz. Para Gervásio a nova sede da Justiça Estadual  em Imperatriz além de acomodar melhor o Judiciário local, se coaduna com a grandiosidade da cidade “ que tem crescido e melhorado”

Após a audiência com o prefeito, os magistrados visitaram a obra do fórum de Imperatriz que se encontra paralisada, apesar de já terem sido gastos R$ 30 milhões na obra.

Na última visita que havia feito à comarca, em março deste ano, o presidente da AMMA se reuniu com os juízes e ficou combinado que no prazo de 30 dias eles apresentariam uma Carta Aberta com a finalidade de mobilizar a classe empresarial, política e a sociedade civil de Imperatriz sobre a necessidade de continuidade da construção do fórum.

Ficou acertado na ocasião, que o documento seria encaminhado ao Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas do Estado, Assembleia Legislativa e a outros segmentos, expressando a necessidade urgente do Poder Executivo suplementar o orçamento do Poder Judiciário para que seja dada continuidade à obra.


(Ascom, com informações da Associação dos Magistrados do Maranhão)