4/10/2015

Secretaria de Educação realiza aula inaugural do curso de Atendimento Educacional Especializado


Na ocasião, foi divulgada a implantação da Biblioteca para a pessoa cega em Imperatriz.

Professores da rede municipal participaram na manhã desta quinta-feira (09) da aula inaugural do Curso de Atendimento Educacional Especializado (AEE) no Setor de Inclusão e Atenção à Diversidade (SIADI) de responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação (SEMED).

Leila Lopes, coordenadora do SIADI, dá detalhes sobre o curso. “Começamos nesta quinta o curso de AEE/ 2015 com três turmas totalizando 75 cursistas. Uma turma com professores de escolas da zona urbana e duas com professores da Educação no Campo. Temos ainda cursistas dos municípios de Davinopólis, Sítio Novo e Itinga. Ressaltamos que todos os cursos realizados no SIADI são destinadas 10% das vagas para pessoas da comunidade priorizando assim a inclusão de forma ampla. A equipe de organização do curso tem como tutoras as professoras: Maria de Fátima Silva Amorim, Geovana Silva Lima, Francisca Sérgio e Marilda Silda Gomes, que desenvolvem ações estruturadas nos parâmetros estipulados pelo Ministério da Educação (MEC)”.

Maria de Fátima Silva Amorim, professora-tutora, explica em que se baseiam as ações do AEE .

“A Educação Inclusiva é uma política nacional, uma modalidade de ensino que perpassa todos os níveis e etapas e todas as modalidades da educação básica e superior. Disponibiliza o AEE e os recursos próprios desse atendimento. A proposta é orientar os professores quanto à utilização desses recursos nas turmas comuns do ensino regular. De início, já esclarecemos que AEE é diferente de reforço escolar. Este não é um curso exclusivo para professores que irão atuar nas Salas de Recursos (SR) mas, para todo e qualquer professor que desejar saber um pouco mais sobre inclusão e as políticas públicas desta área. A Secretaria de Educação tem nos dado oportunidade de desenvolver um belíssimo trabalho nesta área e, graças ao secretário de educação, Zesiel Ribeiro, logo teremos em Imperatriz, uma biblioteca com ações e materiais específicos para a pessoa cega”.
“Este é o momento de cada um fazer a sua parte. Nosso dever como professores é melhorar e ampliar as ações em prol de uma educação de qualidade em Imperatriz. O objetivo principal desse curso é plantar uma semente para que cada um tenha a iniciativa de querer conhecer mais a educação inclusiva e aí sim melhorar sua prática em sala de aula” ressaltou Zesiel Ribeiro, secretário municipal de educação.

Sobre a Biblioteca para a Pessoa Cega, Zesiel revela:

“A Biblioteca que terá como público- alvo a pessoa cega será implantada em breve no Setor de Inclusão e Atenção à Diversidade (SIADI). Alguns matérias e equipamentos já chegaram e esta ação é resultado da parceria do Ministério da Educação (MEC), instituições voltadas para o atendimento da pessoa com cegueira e toda a equipe do setor que tem desenvolvido diversas ações que priorizam a inclusão como: acompanhamento de escolas realizando identificação de necessidades, cursos de LIBRAS e BRAILE, além de formação continuada com professores”.

Leila Lopes ressalta que o apoio de instituições como: Instituto Benajamin Constant, Laramara, Dorina Nowil e o Ministério da Educação foram imprescindíveis para implantação da biblioteca.


Luana Barros – ASCOM