11/18/2015

Prefeitura, Governo do Estado e MP empenhados em resolver problema do transporte coletivo


Prefeito Madeira garante esforço conjunto para contratação de uma nova empresa

           A problemática do transporte coletivo que tanto tem castigado o povo de Imperatriz está com os dias contados. Isso porque, o governo do estado, por intermédio da Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana – MOB se uniu à Prefeitura e ao Ministério Público Estadual, formando uma espécie de força tarefa para resolver esse angustiante problema.

            Na manhã desta terça-feira (17), o prefeito Sebastião Madeira recebeu no auditório da SEMED, o presidente da MOB, Artur Cabral, o titular da Promotoria de Defesa do Consumidor, Sandro Bíscaro, representantes de entidades classistas da área, bem como, os trabalhadores da empresa VBL que foram demitidos, com três meses de salários atrasados.

            Na ocasião, Artur Cabral anunciou oficialmente as medidas planejadas em conjunto com o município, para a completa reestruturação do sistema do transporte urbano local. “Com o fim do contrato da Viação Branca do Leste, empresa que detinha cerca de 70% das linhas de ônibus que atendiam a cidade, uma nova empresa deverá operar em caráter emergencial no município”, observou Cabral.

            Uma novidade anunciada pelo presidente da MOB é a implantação de vias expressas em linhas interurbanas que atenderá usuários dos municípios de Imperatriz, Davinópolis, João Lisboa e Governador Edison Lobão. “Esses ônibus são dotados de ar condicionado, cadeiras acolchoadas, propiciando maior rapidez, um melhor conforto e segurança”, garante Artur Cabral.

            “Quero ressaltar, que a equipe da Prefeitura de Imperatriz, tendo à frente o prefeito Sebastião Madeira e o secretário Cabo Jota Ribamar está se empenhando em resolver esse problema”, afirmou Artur Cabral, garantindo que governo do estado e prefeitura está buscando em outros estados uma empresa que venha prestar nesta cidade um serviço de transporte urbano com a qualidade que o povo de Imperatriz merece.


Madeira garante recolocação dos trabalhadores da VBL

Prefeito garantiu continua busca de outra empresa para o transporte urbano

            O prefeito Sebastião Madeira informou aos jornalistas e representantes de entidade presentes ao encontro com o presidente da MOB, Artur Cabral, que vem trabalhando no sentido de contratar uma nova empresa para substituir a VBL. “Temos conversado com o presidente da MOB, recebendo orientação do governador que também está empenhado em resolver esse problema”.

            Na ocasião, assessorado pelo advogado Daniel Sousa e pelo procurador-geral do município, Gilson Ramalho, o prefeito Sebastião Madeira respondeu todos os questionamentos dos jornalistas, dos representantes de entidade sindicais da área de transporte, bem como, dos trabalhadores da VBL que foram sumariamente demitidos, com três de atraso de seus salários.

            Madeira garantiu que ainda esta semana deverá viajar para uma capital – não citou qual – onde manterá encontro com um proprietário de uma empresa de transporte público na tentativa de contratá-la em caráter emergencial. Ele lembrou que tem sido difícil em face de impasses jurídicos, prazos, um rito legal, “porém podemos garantir que esse problema seja resolvido o mais depressa possível”.

            O advogado Daniel Sousa, titular da Secretaria de Regularização Fundiária – SERF, que vem fazendo o acompanhamento desse processo, afirmou que o município vem realizando todos os procedimentos jurídicos legais, tomando as medidas legais e necessárias, obedecendo aos prazos, “para que tudo transcorra de uma forma que a nova empresa possa prestar um bom serviço à população”.

            Retomando a palavra, o prefeito Sebastião Madeira disse sentir na pele a problemática que ora passa a população de Imperatriz usuário do transporte público urbano. Mas salientou que a culpada dessa situação é a própria empresa VBL, que iniciou até prestando um trabalho razoável, “mas depois foi se deteriorando, deixando de cumprir com o que reza o contrato mantido com a Prefeitura”.

            De acordo com o gestor imperatrizense, a VBL tem um histórico negativo, pois seu proprietário foi embora passando a concessão para outros empresários que trouxeram seus ônibus de Belém e Macapá, mas que nunca quiseram assumir, oficialmente, o lugar da VBL, uma vez que a empresa tem impostos atrasados, dívidas com fornecedores e trabalhadores, razão porque não pode ter certidões para receber pagamento de instituições públicas.

            Aos trabalhadores da VBL ele garantiu que vai solicitar que eles sejam recolocados na empresa que será contratada pela prefeitura. Em resposta ao advogado dos trabalhadores da empresa, Madeira afirmou que a prefeitura vem depositando o dinheiro devido à empresa garantindo o bloqueio no valor de R$ 250 mil e pediu que a Justiça do Trabalho fizesse a inversão para pagar os trabalhadores.


“Madeira tem demonstrado preocupação com esta situação”, declarou o promotor Sandro Bíscaro

            Presente à reunião, o titular da promotoria de Defesa do Consumidor, promotor Sandro Bíscaro, que vem acompanhando essa problemática, disse que a prioridade da administração municipal, do governo do estado e Ministério Público, neste momento, é a reativação do serviço de transporte e pagamento dos funcionários da VBL.

            “Estamos juntos buscando alternativas e o prefeito Sebastião Madeira tem demonstrado preocupação com esse angustiante problema, tanto que tem buscado um ordenamento jurídico para que ele possa fazer a prestação de contas da prefeitura dentro da legalidade”, disse o promotor, justificando que vem acompanhando passo a passo esse processo.

            Ainda de acordo com o promotor, o MP tem se colocado à disposição de buscar junto com a prefeitura, governo do estado e entidades sindicais da área, uma empresa responsável para prestar um bom serviço à população. “A prefeitura já disponibilizou os recursos e estamos buscando, juntos, uma solução para o problema dos usuários e dos trabalhadores que não receberam seus salários”, concluiu. (Domingos Cezar/ASCOM)

(Foto:Domingos Cezar)