12/21/2015

Imperatriz é destaque em evento nacional de gestores municipais de Cultura

O presidente da Fundação Cultural de Imperatriz foi um dos palestrantes convidados 
A Associação Brasileira de Municípios concluiu Na quarta-feira, 16, o ciclo de Encontros Regionais de Gestores Municipais de Cultura com a realização da edição Nordeste em Fortaleza, Ceará. A entidade realizou atividades em todas as regiões do país, nas cidades de Curitiba-PR, Rio de Janeiro-RJ, Brasília-DF e Manaus-AM. O ciclo foi concebido depois do Encontro Nacional de Gestores de Cultura em Brasília ainda em 2014 e tem como objetivo fortalecer os processos de implantação dos sistemas municipais de cultura, consolidando o Sistema Nacional de Cultura e outras políticas públicas voltadas para a cultura.
Além de participar do encontro em nacional em Brasília, o presidente da Fundação Cultural de Imperatriz,Lucena Filho, foi um dos palestrantes convidados para socializar suas experiências frente o órgão na implantação do Sistema Municipal de Cultura no encontro de Fortaleza. “Em 2014 participei da elaboração da Carta de Brasília para a Cultura, remetida aos três entes federativos e ao Congresso, com as demandas dos presentes para o financiamento e viabilização das políticas culturais no âmbito local”, afirmou Lucena Filho.
Em sua palestra, Lucena Filho destacou os caminhos e principais desafios enfrentados em Imperatriz para a implantação do Sistema Municipal de Cultura, processo este que ainda está em andamento. “Quando assumi a Fundação Cultural em 2009, estávamos no estágio zero e iniciamos o processo convocando uma conferência e trazendo a sociedade civil para o debate. De lá pra cá, participamos de os eventos, conferência, oficinas e outros espaços convocados pelo Ministério da Cultura, pela Secretaria Estadual de Cultura e outras entidades, além de promover inúmeras reuniões setoriais, audiências públicas e assembleias”, declarou o presidente.


O Sistema Municipal de Cultura é composto por cinco elementos obrigatórios, destes, Imperatriz já conta com uma lei específica do Fundo Municipal de Incentivo à Cultura, que deve começar a receber recursos a partir do ano que vem; a lei que institui o Conselho Municipal de Cultura, já está em funcionamento; um órgão gestor exclusivo; e deve convocar periodicamente conferências. O último elemento constitutivo do Sistema Municipal de Cultura é o Plano de Cultura, que deve ser elaborado e aprovado em 2016. Segundo Lucena“Esperamos concluir nossa gestão deixando o legado do sistema, garantindo assim um política pública sólida e perene para nossa cidade”. [Antonio Fabrício – ASCOM]