12/29/2015

Secretaria de Desenvolvimento Social avança em 2015 e garante atendimento a mais de 40 mil pessoas





A SEDES beneficiou a população de Imperatriz com ofertas de benefícios, serviços, programas e projetos.


“Fechamos o ano de 2015 com o sentimento de dever cumprido, garantindo atendimento às famílias que mais precisaram, sobretudo, aqueles em vulnerabilidade social”, declarou a Secretária de Desenvolvimento Social do município, Miriam Ribeiro sobre o trabalho realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDES) durante o ano.

Cuidado com a família

Só em 2015, a SEDES garantiu atendimento e ofertou serviços para milhares de pessoas nos quatro cantos da cidade de Imperatriz através dos 19 programas sociais que compõem a pasta. No principal deles, que são os Centros de Referência de Assistência Social, mais conhecidos como CRAS, estão implantados nas grandes regiões como o grande Santa Rita, grande Santa Lúcia, grande Bacuri, grande Cafeteira e ainda na Zona Rural, no povoado Coquelândia, realizaram mais de 40 mil atendimentos. Desde informações, acolhidas, acompanhamento de famílias em vulnerabilidade Social, grupos de idosos, de mulheres, gestantes e grupo de crianças e adolescentes através dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos que funcionam dentro dos CRAS. 


Ou seja, nesses equipamentos públicos, a família que precisa de amparo social foi bem acolhida, pois é nesses espaços que o município realiza ações de prevenção de situações de risco, fortalece os vínculos familiares e comunitários, realiza atendimento especifico e acompanhamento psicossocial por meio da equipe técnica formada por profissionais como: assistente social, psicólogo e pedagogo. Também é no CRAS que a família tem acesso ao programa de transferência de Renda Bolsa Família, ao cadastro único; encaminhamentos para a rede de serviço socioassistencial e palestras educativas. Também proporcionou à comunidade serviços de saúde, beleza, orientações jurídicas, previdenciárias, meio ambiente e lazer em mobilizações conhecidas por Manhã Cidadã.  Quatro dessas ações ocorreram nos bairros São José, na Vilinha, no Centro Novo e na Coquelândia.   

Desde o início do atual governo do Prefeito Sebastião Madeira que os avanços na assistência social de Imperatriz são vistos com destaque. Ampliou de 1 para 5 CRAS e que em breve haverá mais 1 CRAS a ser implantado no bairro Bom Jesus.

Inclusão Produtiva


Muitas mulheres chefes de família estão mudando sua realidade social graças aos cursos de capacitação profissional ofertados nos CRAS e no Centro de Inclusão Econômica e social de Imperatriz (CIESI). Mulheres que antes não tinham uma profissão, além de cuidar da casa e dos filhos, agora são donas do próprio negócio, ou já saem do curso de capacitação empregadas. Neste ano, cerca de 1.700 pessoas, passaram pelos cursos ofertados pela SEDES, com 90% de participação feminina. 

A maioria dos cursos disponibilizados possibilita que o profissional trabalhe em casa. São cursos de cabeleireiro, manicure, depilação, maquiagem, corte e costura, pintura em tecido, oitinho, capitonê, bordado em fita, predaria em sandália, biscuit, panificação e informática.


Foi através da inclusão produtiva que Joseane Pereira Gomes, de 25 anos, passou a ajudar no sustento da família após receber o certificado do curso de bordado em fita. “Eu comecei o curso porque não posso trabalhar fora por conta do meu filho que é especial e precisa dos meus cuidados. Então, eu pensei que participando de um curso que pudesse trabalhar em casa, teria uma renda extra e ajudaria meu esposo e meu filho. Assim, escolhi um curso que eu já me identificava e agora estou muito feliz pela oportunidade que o CRAS me deu”, disse emocionada.

PRONATEC

Tendo uma procura por sua maioria de mulheres, o Pronatec este ano capacitou cerca de 150 pessoas em parceria com o sistema S (SEST/SENAT, SENAI e SENAC) e com o Instituto Federal do Maranhão. Programa do Governo Federal, coordenado pela SEDES, o Pronatec formou profissionais que, agora, atuam como eletricista predial, artesão, editor de projetos gráficos, operador de empilhadeira, recepcionista, auxiliar de manutenção predial e agente de limpeza e conservação.
 
Habitação

Em 2015, o Programa de habitação Minha Casa, Minha Vida foi marcado por convocações dos sorteados e do cadastro de reserva dos candidatos aptos para formalização dos documentos exigidos em edital. Todas as 6.510 famílias sorteadas foram convocadas pelo Programa, contudo, não foi suficiente para preencher as 5mil vagas disponíveis para as unidades habitacionais do jardim Sumaré.  

Em dezembro, a SEDES promoveu outro sorteio para cadastro de reserva com mais 400 candidatos aptos ao sonho da casa própria. Até agora, são 6.920 famílias que receberão uma unidade habitacional do minha casa minha vida, em Imperatriz.

Cuidando da criança ao idoso

Uma marca registrada do governo do prefeito Sebastião Madeira é o cuidado especial com as crianças e com os idosos. O governo cuida bem de quem precisa. Exemplo disso, é a atenção voltada às três casas de acolhimento: Casa da Criança, Casa de Passagem e Casa Lar, mantidas pelo município através da SEDES, em parceria com a Vara da Infância e Sociedade Civil.

Durante este ano foram 105 crianças e adolescentes de 0 a 17 anos acolhidas por uma das três instituições. Todas elas estão ou estiveram em situação de vulnerabilidade social, ou foram retiradas pela justiça do poder familiar, por serem vítimas de violência e maus tratos protagonizados pelos pais, uma vez que em sua maioria são dependentes químicos ou ainda foram abandonadas.

Essas crianças são acolhidas nas casas abrigo e recebem toda a atenção e carinho da equipe multiprofissional, das cuidadoras sociais, assim como da sociedade civil que é sempre bem vinda para as visitas. As casas são adequadas para garantir conforto e bem estar das crianças, com adaptações, parquinho e berçários para os recém-nascidos.
O Prefeito Madeira fez da Casa da Criança um cartão postal da cidade e faz questão de apresentá-la a todos que visitam Imperatriz. “Nunca vi, até agora, nenhuma pessoa que tenha o coração tão duro que não se emocione com essa casa, já vi gente até chorando”, disse Madeira.

Essa também é uma realidade da Casa do Idoso Feliz. Com mais de 1.200 idosos cadastrados, a Casa do Idoso oferta atividades que favorecem a integração social, evita o asilamento e auxilia no envelhecimento com qualidade de vida para seus integrantes. Proporciona acompanhamento socioassistencial, em saúde, hidroginástica, forró, teatro, música e tantas outras atividades. “Aqui é um lugar de alegria”, disse Maria do Carmo Martins da Silva de 77 anos, mais conhecida como Carmitinha, que há quase 13 anos frequenta a Casa do Idoso.

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos - de 06 a 15 anos


 O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) para crianças e adolescentes manteve os 20 equipamentos públicos instalados nas áreas de vulnerabilidade social da cidade. Ao todo, são usuárias deste serviço 1.200 crianças e adolescentes que participaram de atividades diárias, como: dança; música; esporte; atividades culturais (capoeira, maculelê); oficina de artesanato e lazer, além de colocarem em prática projetos Interdisciplinares de Pluralidade Cultural. Também faz parte do SCFV o Coral Curumim que nas datas festivas encanta milhares de pessoas com suas belas apresentações musicais.


Pessoas com Deficiência

O Centro de referência da pessoa com deficiência – CRPD, atende pessoas com deficiências, física, auditiva, visual ou intelectual garantindo a eles direitos ao desenvolvimento de mecanismos para a inclusão social, a igualdade de oportunidade assim como a participação e o desenvolvimento da autonomia das pessoas com deficiência, a partir de suas necessidades, prevenindo situações de risco, exclusão e isolamento. Em 2015, os usuários do CRPD tiveram ampla participação nos eventos voltados a pessoa com deficiência, inclusive em eventos fora da cidade, graças ao auxilio da SEDES. 

Segurança Alimentar


Frutas, verduras e legumes fresquinhos foram impedidos de virar lixo devido do empenho do Programa de Segurança Alimentar do Município. Só o Banco de Alimentos recebeu mais de 90 mil quilos de doação que se transformaram em alimentação saudável para mais de 17 mil pessoas por meio de 180 instituições assistenciais e famílias cadastradas.
 Outro integrante da rede de segurança alimentar é o Restaurante Popular. Desde 2008 distribui comida boa, barata e de alto valor nutricional ao preço de um real o prato para 600 pessoas todos os dias.

Em Dezembro de 2015 a Segurança alimentar de Imperatriz ganhou novos equipamentos que auxiliarão na qualidade da distribuição dos alimentos, com a compra de equipamentos como duas câmaras frias, uma balança eletrônica, balança de piso móvel, microcomputador e dois caminhões baú para utilização do Banco de alimentos.

População de Rua

Com o desenvolvimento crescente de Imperatriz, chegaram por aqui também às problemáticas das grandes cidades, na principal delas a população em situação de rua. Para remediar essa situação há mais de 1 ano a cidade conta com um Centro de Referência Especializado para população em Situação de Rua (Centro Pop). 

Lá, são ofertados todos os serviços necessários que auxiliem na retirada do beneficiário da situação de rua até restabelecer o convívio social e laços familiares. Em 2015, foram mais de 500 atendimentos, com acolhida, encaminhamentos para Centros Terapêuticos; concessão de Passagens; oficinas Terapêuticas, inscrição no Pronatec; Abordagem Social; encaminhamentos para o Mercado de Trabalho, alimentação, kit higiene, encaminhamento para retirada de documentos pessoais, dentre outros.

Pelo exposto, é notório que o trabalho da Secretaria de Desenvolvimento Social não pára. O cuidado com aqueles que mais precisam ou que estão em vulnerabilidade social está sendo prioridade nos programas sociais. “Estou feliz porque fizemos melhor que o ano anterior e faremos ainda mais em 2016, principalmente com as promessas de implantação de programas e com mais unidades habitacionais do minha casa minha vida para o povo da nossa cidade”, finalizou Miriam Ribeiro.

Sara Ribeiro - ASCOM