1/11/2017

Arrocho do fisco estadual intimida empresários em Imperatriz


 A mudança na “cultura de arrecadação fiscal”  assumida pelo Governo Flávio Dino  pegou de surpresa a classe empresarial de Imperatriz que tacitamente se sente hoje intimidada. Falar sobre o assunto num canal de comunicação ninguém fala, mas basta uma pequena provocação em qualquer rodada de conversa para surgir o rosário de queixas. 

“Não se trata de não querer pagar, sabemos que é obrigação, mas deveríamos ser tratados com um pouco de flexibilidade. Desse jeito vamos quebrar” disse um contribuinte sem, no entanto,  especificar qual o ponto crucial da discordância.

Outro pequeno empresário emendou “ se continuar desse jeito vou abrir outro CNPJ e me mudar para o Estado do Tocantins,  lá o fisco trata melhor quem produz e gera emprego”.
Outra reclamação dos empresários é da falta de diálogo do fisco com a entidades  que os  representam. “Não somos bandidos ! Geramos emprego e renda para esse Estado merecíamos outro tratamento”  comentou um empresário que também pediu para ser identificado.

Além da atuação incisiva do Fisco o projeto de  Lei 223/16 do Governo que que prevê aumento da alíquota do ICMS também tem sido motivo de debate tanto nas rodas de empresários quanto na Assembléia Legislativa onde já rendeu calorosos debates. O entendimento da oposição ao Governo Dino é  com o País em crise não é hora do  aumento de impostos opção que no final acaba sacrificando a população.