5/05/2017

"TratorDino"


Na atual conjuntura  fica cada vez mais  remota a possibilidade do governador Flávio Dino (PC do B) abandonar seu projeto de reeleição, iniciado há mais de dois anos, para uma aventura de candidato a presidente da República, como chegou a cogitar seu partido ou,  figurar de vice numa eventual  chapa com Lula, se este chegar elegível até o pleito  de 2018.

Como um trator, é visível que Dino,  com a ajuda dos  experientes  articuladores do Palácio dos Leões, cumpre hoje  a tarefa  de montar uma ampla frente de partidos ( de todas as cores)  que lhe garanta   preciosos minutos no horário eleitoral no rádio e na TV  e  maior capilaridade nos diversos rincões do Estado.  

Em campos opostos, em outros pleitos, PTB e DEM, por exemplo, não terão dificuldades para fechar aliança com o grupo do governador.  O primeiro já faz parte do governo, o segundo, por meio de suas lideranças mantém uma boa interlocução com o time de Dino.  E ainda tem o PSDB  encastelado no governo  com o vice-governador Carlos Brandão  e  que,  mesmo com a oposição da Nacional, na  sua condição de presidente da Provisória Estadual,  pode permanecer no mesmo lugar.  Só mesmo uma intervenção do Diretório  Nacional tiraria Brandão  hoje da sua zona de conforto.

Nessa marcha, portanto, sobrará muito pouco para “as outras vias” estruturarem uma aliança partidária para 2018.  Tirando o senador Roberto Rocha (PSB) que já assumiu há algum tempo a condição de pré-candidato a governador, os demais projetos de que se falam no Maranhão,  não passam segurança, e nessa incerteza o atual governador, admitam ou não,  nada de braçada.  Nessa caminhada, o que já se ouve do eleitor comum, é que  se for pra ficar pior é melhor ficar como está.

Fora do eixo  comunista , avalia-se que se   as outras candidaturas  majoritários  em discussão para a disputa eleitoral do ano que vem  não “ descerem do olimpo”   para , na terra  encontrar ou atrair ideias e sentimentos convergentes para seus projetos,  terão problemas até para montar as chapas para a eleição de deputado  estadual e federal.  Por esse olhar  o “ TratorDino , como se diz aqui nas barrancas do Rio Tocantins,  vai comer  a paca  novamente sem nenhuma dificuldade.