6/29/2017

Terminal Rodoviário Governador Jackson Lago completa seis anos


Empresa que administra a concessão quer abrir o espaço para manifestações culturais

O empresário Ricardo Medeiros comemorou ontem os seis anos que a sua empresa R.M.C,  administra o Terminal Rodoviário Governador Jackson Lago. Acompanhado da irmã, Patrícia Medeiros, o executivo reuniu  pela  manhã os colaboradores da empresa para lembrar a data,  e agradecer pelo trabalho  exercido por cada um.  O Terminal Rodoviário de Imperatriz opera com 30 funcionários.

“Só venho a Imperatriz uma vez por mês e se  faço isso é  porque confio em vocês na condução do serviço que aqui realizamos”  ressaltou Ricardo. Ele lembrou ainda das dificuldades iniciais enfrentadas para organizar o terminal,  mas que nenhuma delas  chegou a afetar a prestação do  serviço que  se propôs fazer ao  assinar o contrato com o Governo do Estado para comandar a Rodoviária da cidade.

Conforme o empresário o objetivo da R.M.C, a mesma que administra o Terminal Rodoviário de São Luís,  além de  prestar um serviço cada vez melhor  outro objetivo  da empresa é dotar o terminal de Imperatriz das condições para que não seja apenas um local de embarque e desembarque de passageiros, mas um  espaço onde as pessoas  possam  usufruir de outros serviços, incluindo  os ligados ao lazer.  

Outra meta anunciada por Ricardo e a irmã Patrícia para movimentar o terminal será abrir espaço para que as cooperativas de  vans  também passe a operar a partir de lá.
Ricardo Medeiros anunciou que pretende firmar parcerias com entidades culturais, sociais e 
religiosas para que os espaços, ainda ociosos, sejam ocupados diariamente com manifestações organizadas por esses grupos que vierem somar conosco.  “Queremos nosso terminal ocupado pelos os talentos da cidade seja da música, fotografia, dança, ou outras manifestações culturais”  disse o empresário.

Monumento- Ainda ontem pela manhã Ricardo Medeiros se reuniu com o artista plástico Carlos Designer a quem lançou o desafio de elaborar um projeto para a concepção de um monumento a ser construído na entrada da  rodoviária.  “Algo conceitual que venha a  retratar  a força da cidade e  chame a atenção  das pessoas pela beleza da obra. Já vi que o Carlos tem talento para tudo isso”  


O artista plástico Carlos mora desde os quatros anos de idade  em Imperatriz e já assinou  dezenas de peças sob encomenda, entre elas “o touro de aço” da entrada do Parque de Exposições Lourenço Vieira da Silva, o “Samurai”  da Takashi Comunicão,  e várias das peças fixas do Freitas Parque e da Pousada Embiral.