4/17/2019

Intensificado o combate à dengue em Imperatriz, informa Prefeitura



Além do trabalho do Município é necessário que a população faça sua parte

Por João Rodrigues-ASCOM-ITZ


As ações de combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus em Imperatriz foram intensificadas nos últimos dias  pela Secretaria Municipal de Saúde, Semus. O trabalho se dá  através de    mutirão que envolve os agentes de endemias com a utilização do carro fumacê para exterminar os focos do mosquito e orientar a população, em especial, nos bairros atingidos pelas recentes chuvas que desabrigaram várias famílias.

A coordenadora de Controle de Vetores, departamento da Vigilância em Saúde Municipal, Cristiane Maria Lisboa, lembra que desde o início do ano as equipes desenvolvem suas atividades de campo normalmente, mas após as intensas chuvas foi iniciado uma força tarefa para atender os locais considerados mais críticos. 

“Concluímos a nebulização da área do Parque Alvorada e o carro fumacê esteve ontem na Vila Ipiranga e nesta quarta-feira (17) na JK. Os agentes estão em trabalho de campo normal, em mutirão, para poder atendermos todas as metas do município”, destacou.

As questões climáticas com alternância de chuvas e sol favorecem o surgimento dos criatórios do mosquito Aedes. Em atendimento a determinação do Ministério da Saúde, os municípios brasileiros são obrigados a fazerem, quatro vezes por ano, o Levantamento do Índice Rápido, LIRA, documento que serve para demonstrar às autoridades federais de saúde sobre o quadro de infestação larvária do mosquito da dengue.

Os resultados do primeiro LIRA deste ano, realizado no dia 18 de fevereiro apresentaram nível médio de infestação, o que representa estado de alerta em Imperatriz. O próximo, já com os reflexos das chuvas, será no dia 20 de maio.

 “O último LIRA que fizemos deu médio risco (2,4) e o próximo será em maio e vamos intensificar, ainda mais os trabalhos para que não tenhamos índices maiores após as enchentes”, admite a coordenadora.

Supervisor e técnico em vigilância em saúde, Denis Francalino Fernandes aponta outros fatores que refletem diretamente para o aumento nos índices de infestação que vão além das chuvas. “Nós estamos fazendo o trabalho de prevenção nos imóveis, orientando a população e exterminando os focos, mas só o poder público não basta, a população tem que fazer a sua parte, cabe à população evitar acúmulo de água limpa e parada em recipientes que são locais propícios a ser criatórios do Aedes Aegypti", alerta.  

Educação



Com experiência nas ações de combate às endemias, o supervisor geral da área lembra que as equipes de controle vetorial trabalham no combate químico e mecânico ao mosquito, mas é fundamental que a população abrace essa causa fazendo a parte dela. “Nossa mensagem é que a população colabore com a saúde e com a cidade, fazendo ações de combate a dengue na sua casa, no seu quintal. Hoje em dia não é questão de apenas de ter consciência, é ter atitude, porque todo cidadão brasileiro sabe qual é o transmissor da dengue, como ele se reproduz e como combatê-lo”, enfatiza o supervisor geral de endemias.

Como prevenir a dengue

- Evite o acúmulo de água limpa em casa;
- Coloque tela nas janelas para impedir a entrada do.Aedes Aegypti;
- Recolha e de destinação correta ao lixo e evite tampas e outros recipientes espalhados que possam acumular água limpa;
- Coloque desinfetante nos ralos;
- Calhas, piscinas e aquários devem ser limpos periodicamente;
- Cada pessoa tenha a responsabilidade de cuidar da prevenção ao mosquito em sua casa.
- Receba e permita a entrada do agente de endemias em sua casa, pois ele tem formação técnica para o trabalho.