8/21/2019

CRIAÇÃO DO MARANHÃO DO SUL ENTRA NOVAMENTE NA PAUTA POLÍTICA. O SENADOR SIQUEIRA CAMPOS, DO TOCANTINS, ENTROU COM UM NOVO PROJETO



Tema sensível a divisão do Estado para a criar o Maranhão do Sul volta, de surpresa, a ser pauta por conta do Projeto de Decreto Legislativo 509 protocolado no último dia 13 agosto pelo senador  suplente Siqueira Campos (DEM-TO) propondo a realização de plebiscito para criação do novo estado.  

Na história recente do País já são cinco projetos, dois no Senado e três na Câmara, apresentados para dividir o Maranhão. Seis se for considerado o movimento de 1817 que ocorreu  em Pastos Bons quando tentaram criar a República dos Pastos Bons.

O então deputado federal Davi Alves Silva apresentou o  projeto  dele pela ocasião da Assembleia Nacional Constituinte. Chegou a trazer quase toda a comissão de sistematização da Câmara a Imperatriz.  Perdemos!   A Constituição de 1988 só  criou o Estado do Tocantins, projeto do ex-deputado federal e hoje Senador Suplente Siqueira Campos,  o Maranhão do Sul não entrou.

*Tempos depois o então deputado federal e hoje senador Roberto Rocha*  também apresentou um projeto que dividia o Maranhão, mas acabou arquivado. O deputado Federal Sebastião Madeira então empunhou a bandeira mobilizando todo o Estado. Com o apoio da Maçonaria foram realizados vários encontros aqui na região, em Brasília e até na grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo. Historicamente a Maçonaria do Brasil sempre apoiou a criação de Novos Estados.

 Depois , o ex-senador Lobão,  também apresentou projeto idêntico  que foi apensado  ao do Madeira.  Em 2017  projeto chegou a ser aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça, mas nunca foi levado a Plenário.
Em 2017 pra não deixar a bandeira cair foi criada a Associação Para o Desenvolvimento da Região Tocantina e do Maranhão do Sul que chegou a realizar em Maio daquele ano um grande evento sobre o tema e ficou nisso até o assunto voltar  a ser discutido novamente com esse novo projeto.

O tema da divisão do Maranhão  é sensível porque embora esse sentimento { separação} no sul e sudoeste do Estado ainda seja muito presente a população não acredita. Quem aparece empunhando essa bandeira é sempre acusado de oportunista e de querer auferir dividendos políticos.

O projeto apresentado pelo senador suplente Siqueira Campos tem o mérito de reacender um tema que parecia esquecido: o da redivisão territorial do Brasil. Em pelo menos 13 Estados existem movimentos de criação de novos Estados  contudo,  esse desejo que  em tese favoreceria o desenvolvimento regional, esbarra nas condições econômicas do País ante a complexidade  e despesas em torno da efetivação de um novo Estado e por conta disso o tema nunca  entrou na agenda  Governo Federal.

Agora, convém ressaltar,   só para encerrar, que   esse projeto apresentado pelo senador Siqueira Campos chama atenção  por alguns aspectos: primeiro porque vem de um político que não é do Estado,  e segundo, porque foi apresentado sem nenhuma articulação com políticos da região   {Maranhão} ou  entidades que historicamente sempre empunharam essa bandeira como a Maçonaria, o Comitê Pro-Maranhão e até a Associação Para o Desenvolvimento da Região Tocantina e do Maranhão do Sul.  Faltou avaliar  ainda  se esse sentimento { o de dividir o Estado} ainda tem força no lado de cá do Estado.