1/21/2012

Crescimento desordenado motivado por invasões prejudica cronograma da Sinfra


As pesadas chuvas também atrapalham andamento de obras de infraestrutura

Domingos Cezar 

Algumas reclamações de pessoas que moram em bairros distantes do centro da cidade têm seu fundamento, mas a maioria absoluta delas provém de pessoas que são motivadas por adversários do prefeito Sebastião Madeira, que aproveitam o ano eleitoral para tentar denegrir a imagem da administração municipal. Geralmente, são pessoas simples e, por isso, são facilmente manipuladas por aqueles que mantêm o pessimismo e pregam o atraso.

Melhorar as condições de trafego das ruas e possibilitar ao centro e aos bairros uma nova visão paisagística da cidade que mais se desenvolve no interior do estado tem sido algumas das metas do prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, e do secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sinfra), Roberto Alencar. Isso vem sendo feito gradativamente, dentro das possibilidades econômicas da Prefeitura.

A Sinfra, de acordo com seu titular, por determinação do prefeito Madeira, estabeleceu um cronograma de obras, compatível com as obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do Governo Federal, propiciando a melhoria nos bairros, através da pavimentação de ruas, realizando serviços de drenagem nas que necessitam desse benefício, a exemplo da Rua Floriano Peixoto, Nova Imperatriz, e tantas outras.

Roberto Alencar garante que até o final do ano a Prefeitura de Imperatriz, por intermédio da Sinfra vai cumprir esse cronograma. Apesar das chuvas que tendem a se intensificar, continuam os trabalhos de recuperação de ruas, de limpeza dos riachos que cortam a cidade, de limpeza de bocas de lobos, para que as águas das chuvas possam escoar normalmente, além da operação tapa buracos, que entra em ação sempre que necessário.

População reconhece


Morador de Imperatriz há quase quatro décadas, o autônomo José Araújo, 52, que reside no bairro Bacuri diz que há muito por fazer na infraestrutura da cidade, mas admite que Imperatriz avançou muito nos últimos três anos nesse setor tão importante e cobrado pela população. “A cidade tem outra cara, uma nova visão paisagística e isso também está se estendendo para os bairros, o Bacuri é um exemplo”, diz Araújo.

“Não estou falando em desenvolvimento econômico, pois este está demonstrado claramente até para os adversários do prefeito. Falo de obras estruturais, como a pavimentação de ruas, construção de pontes sobre os riachos, construção de escolas, creches, praças, enfim, obras diversas”, afirma José Araújo, ressaltando as pontes sobre o Riacho do Meio, na Rua Coronel Manoel Bandeira, e a ponte da Rua Godofredo Viana, sobre o riacho Bacuri, no bairro do mesmo nome.

A opinião de José Araújo é compartilhada por Raimundo Nonato Oliveira, outro morador antigo da cidade. Para ele, a dificuldade encontrada pela atual administração em “arrumar” todas as ruas de Imperatriz é motivada pelo crescimento desenfreado da cidade nos últimos anos, em face de dezenas de invasões. “Aí eles constroem casas a toque de caixas e querem que no outro dia as ruas estejam pavimentadas, com serviço de água, luz, telefonia, postos de saúde, e não é assim, tudo tem um custo”, alerta.

Não obstante as mais diversas opiniões, Roberto Alencar afirma que, mesmo com o período do inverno as obras municipais terão prosseguimento. Questionado sobre as casas do Recanto Universitário, que ainda não foram entregues, Alencar observou que a empresa construtora não as entregou completamente prontas, como estabelecia o contrato. Garantiu, entretanto, que a prefeitura vai realizar sua parte e entregá-las possivelmente, até o final de março. (Comunicação)