1/24/2012

Hackers vendem passagens aéreas em Imperatriz e região


O PROGRESSO 

Prática muito utilizada Brasil afora, a venda de passagem aérea feita através de transações eletrônicas ilegais começa a ser uma realidade também em Imperatriz e região, causando prejuízos e transtornos a usuários da aviação. Na manhã de domingo, um casal passou momentos de dificuldades no aeroporto de Imperatriz ao se apresentar para o embarque.

Vindos de Dom Eliseu, no Estado do Pará, foram impedidos de embarcar para Foz do Iguaçu. Suas passagens estavam bloqueadas pela companhia aérea porque a emissão era irregular. O casal acabou informando que teria comprado de uma pessoa moradora de Imperatriz, de quem não quiseram informar o nome. Segundo informações repassadas à reportagem, por uma passagem aérea ilegal o preço cobrado é de cem a duzentos reais.

A passagem estava marcada desde o mês de dezembro, quando o emissor do bilhete, um hacker, de posse dos dados de outra pessoa (conta e senha), retirou os pontos suficientes para a emissão. A descoberta aconteceu porque o verdadeiro dono da conta, ao precisar viajar, quis também utilizar os pontos conquistados via bonificação e descobriu que sua conta estava zerada. Ao entrar em contato com a empresa, soube que havia emitido duas passagens de ida e volta no trecho Imperatriz-Foz do Iguaçu-Imperatriz. Alvoraçado, disse não ter feito a emissão e que não a autorizava. Com isso, avisada em tempo, antes da utilização dos bilhetes, a empresa cancelou a emissão e impediu o roubo.

Prática ilegal – O contrato firmado entre as companhias aéreas e passageiros para a utilização de pontos não admite a venda de bilhetes; prevê, inclusive, o cancelamento da conta quando comprovada sua utilização ilegal. Para burlar esse ponto, muitas pessoas que vendem milhagem acabam assinando um termo onde dizem fazer doação. Querer levar vantagem com a compra de um bilhete por preços bem abaixo do mercado pode ser um tiro no pé como o que resultou do episódio.

Hackers têm constantemente enviado emails falsos para todos os endereços, oferecendo vantagens para internautas incautos, que ao clicarem nos spams acabam por abrir as portas para a invasão do seu computador e, com isso, facilitando ao criminoso o acesso ao número do cartão e da senha. A solução é não se deixar seduzir por propostas tentadoras e estar sempre acompanhando o saldo para não ser pego de surpresa.

Milhagem

Buscando fidelizar os clientes, as empresas aéreas criaram um sistema de premiação mais conhecido como milhagem. Cada compra efetuada na própria empresa ou em empresas parceiras cadastradas resulta em acúmulo de pontos que são creditados em favor dos portadores do cartão Fidelidade TAM ou Smiles Gol. Normalmente, cada dez mil pontos cadastrados dá direito a uma viagem para qualquer lugar do Brasil, desde que a data da viagem seja marcada com sete dias de antecedência.
Também é possível embarcar no mesmo dia; nesse caso, a quantidade de pontos necessária para emitir um bilhete é de no mínimo quinze mil pontos. Nem tudo é facilidade, porém - quando o passageiro precisa alterar a data da viagem ou destino - tem que pagar uma multa.
 Nessa condição não vale dinheiro, o pagamento só é feito através de pontos e esses têm que ser da mesma conta que emitiu o bilhete. Se quem efetuou a venda ou a doação não tiver mais pontos, não tem nada a fazer a não ser emitir outro bilhete para fazer a viagem, e bilhetes emitidos em cima são mais caros, em balcão de aeroporto, então, é que fica caro mesmo. A solução é simples: na hora de viajar, não corra através de facilidades e procure não depender de outros.