1/17/2012

Saúde municipal assiste desabrigados pela cheia


Estrutura foi montada para dar assistência às famílias durante a permanência no local

Há dez dias, na noite do primeiro sábado de 2012 (7), o nível do rio Tocantins subia repentinamente e as famílias que vivem na região da Beira Rio viam suas casas serem invadidas pelas águas. Antes de o dia (domingo) amanhecer, a Defesa Civil de Imperatriz iniciou a retirada das famílias do local, levando-as para a escola municipal Paulo Freire e para o parque de exposições Lourenço Vieira da Silva. Ainda não há previsão de quando os moradores poderão voltar às suas residências, mas o município tem trabalhado para garantir a segurança e a integridade das famílias, enquanto estiverem fora das suas casas.

Na manhã de ontem (16), o secretário adjunto de saúde, Arnaldo Alencar, visitou os dois abrigos. A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) montou uma unidade de saúde dentro do parque de exposições, contendo uma sala de palestras, duas salas de consulta e uma enfermaria. Com isso, o município espera garantir o atendimento às famílias durante a sua permanência no local. Também foi instalada uma farmácia para suprir a necessidade de medicamentos.

Segundo o secretário adjunto, a estrutura é fundamental para os desabrigados, e foi disponibilizada pensando no caráter humanitário dos abrigos. No caso do parque de exposições, a montagem da estrutura também é fundamental devido à distância do local para os postos de saúde. “Com isso, alguém que esteja doente pode ser atendido diretamente no abrigo. Em casos de maior necessidade, ele pode ser removido para outro local, também com toda a segurança”, explicou.

A montagem da estrutura não é a única demonstração de preocupação da Prefeitura com os ribeirinhos. Logo após a chegada das famílias, uma equipe da Vigilância em Saúde este no parque de exposições para eliminar focos do mosquito aedes aegypti, que transmite a Dengue. Além disso, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedes) já enviou duas remessas de cestas básicas para os ribeirinhos.

O próprio prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, tem visitado os abrigos e a região alagada regularmente. Ele solicitou, pessoalmente, à Defesa Civil, que mantenha o rio sob constante vigilância e que as famílias não retornem às suas casas.
Entenda

O aumento nível do rio Tocantins aconteceu por voltas das 19h do primeiro sábado de 2012 (7). A retirada dos ribeirinhos começou a ser feita nas primeiras horas de domingo (8), antes mesmo de o sol nascer. Cerca de 300 famílias tiveram que sair de suas casas. Algumas foram levadas para abrigos, outras, foram para casas de parentes.

No início daquela semana, a Defesa Civil havia iniciado a preparação para o período chuvoso. O órgão havia dado início a atualização dos cadastros dos moradores da região. O aumento repentino do nível, no entanto, acabou acontecendo antes do previsto.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Imperatriz, Francisco das Chagas Silva, o Chico do Planalto, a cheia foi causada pela abertura das comportas da usina hidrelétrica de Estreito. O Consórcio Estreito Energia (Ceste) só teria avisado sobre o procedimento às 19h da noite de sábado, o que acabou prejudicando o planejamento do órgão municipal. (Comunicação)