2/09/2012

Nível do rio Tocantins está 4 metros acima do normal



Por Gil Carvalho

Embora o período invernoso ainda não esteja intenso em Imperatriz, a Superintendência Municipal da Defesa Civil, definiu um cronograma de trabalho, depois da enchente prematura ocorrida com a abertura de comportas da hidrelétrica de Estreito (125 km de Imperatriz).

“Essa enchente ocorreu no começo do mês de janeiro (dia, 8), atingindo diretamente mais de 300 famílias que residem em bairros que ficam nas proximidades do leito do rio Tocantins, elevando em mais de oito metros o nível de água no rio”, lembra o superintendente Francisco das Chagas Silva, o Chico do Planalto.

Ele ressalta que, em parceria com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra), foram disponibilizados caminhões para o transbordo dos móveis e eletrodomésticos das famílias que foram atingidas pela enchente do rio Tocantins. “A maioria das famílias desabrigadas foi levada para a Escola Municipal Paulo Freire; Parque de Exposições, na BR-010, e outros para casas de parentes”, disse.

O coordenador da Defesa Civil ressalta que a Prefeitura de Imperatriz empreendeu esforços e disponibilizou toda logística disponível para ajudar os ribeirinhos atingidos pela enchente do rio Tocantins. “Foram distribuídas três etapas de cestas básicas, implantado um posto de saúde no Parque de Exposição, e um posto volante na Escola Paulo Freire”, informou.

Chico do Planalto destaca ainda o apoio das secretarias municipais de Ação Social, de Saúde, e da Infraestrutura. “O prefeito Madeira também verificou ‘in loco’ a situação das famílias desabrigadas”, contou.

Ele observa que “essas ações foram desenvolvidas somente pelo município de Imperatriz, e que não houve ajuda dos governos federal e estadual”. “Todas as famílias também receberam auxílio da prefeitura na hora de fazer a mudança de volta para suas residências”, assegura.

OSCILAÇÃO

A Defesa Civil alerta que o nível do rio Tocantins ainda permanece quatro metros acima do nível normal, oscilando com a vazão da barragem de Estreito. “As chuvas ainda não estão intensas em nossa região, mas a cheia natural que acontece todos os anos ainda está por vir”, finalizou.