3/19/2012

Matadouro Municipal dobra o número de abatimentos

Há três anos eram abatidas 1200 reses por mês. Hoje o número subiu para 3000.

Uma das primeiras ações da atual gestão foi a reestruturação do matadouro municipal. A decisão de “mudar a cara”  do local foi tomada pelo prefeito Madeira numa visita realizada antes  mesmo de tomar posse. “Fiquei horrorizado com o que vi ali” disse  o prefeito.

Naquele tempo, diante da situação visível   havia até a ameaça de um pedido de  interdição do espaço pelo Ministério Público lembrou o gestor municipal.

O mau cheiro, a sujeira, o modo cruel e antihigiênico como os animais eram abatidos chocavam  a quem, por um motivo ou outro fosse ao então matadouro municipal. O abatimento era feito a golpes de machado na testa dos bichos.

Além da demora no procedimento aquele modo de abate, segundo especialistas, tinha influência negativa direta na qualidade da carne. Hoje os animais são mortos com pistolas de ar comprimido o que acelerou o serviço, diminuiu o sofrimento destes e consequentemente melhorou a qualidade do produto que chega diariamente á mesa do imperatrizense.

Na semana passada durante a solenidade de entrega de certificados de qualificação profissional dos 57 servidores do  matadouro o prefeito Madeira falou dessa situação no verbo passado já que com os investimentos ali realizados pela Prefeitura o quadro mudou totalmente.

 “Com  O que foi feito ali até agora o termo matadouro ficou obsoleto e não cabe mais  num local  que mais parece um frigorífico” declarou o prefeito numa rápida entrevista à imprensa. “A implantação de mais melhorias vai continuar” garantiu.

Curso tem influência direta na melhoria dos serviços prestados no Abatedouro municipal


O coordenador do abatedouro municipal José Jales, o popular Carrapicho, disse que o curso  para os servidores certamente terá influência direta  na melhoria dos serviços ali prestados. Entende ele que investir na infraestrutura do espaço físico é importante mas tão quanto importante é a qualificação do pessoal de apoio daí, a preocupação da atual gestão.

O curso ministrado foi o resultado de uma parceria estabelecida entre a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Produção (Seaap), o Sindicato Rural de Imperatriz (Sinrural) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar)

Sobre a realização do curso  o magarefe Valdemir Martins  destacou as mudanças ocorridas no matadouro  nesses últimos dando ênfase principalmente na valorização do trabalho dos servidores.