2/26/2013

Policial português prestará depoimento ainda essa semana. Ele e a esposa, que morreu, foram atropelados na quarta-feira de cinzas na Nova Imperatriz.

O delegado  titular da  Delegacia de Acidentes de Trânsito, Marcelo Fernandes,  deve  tomar até sexta-feira (1) o depoimento do policial português Celso Pinto, vitima, ele e a mulher Vera Lúcia, de atropelamento no início da madrugada da Quarta-Feira de Cinzas.  Celso se recupera dos ferimentos na casa da sogra, na Rua São Bento, Nova Imperatriz, a mulher dele morreu antes de chegar ao Hospital Municipal.

Embora não esteja recebendo muita atenção da mídia convencional, nos bastidores  o caso  ganhou muita  repercussão. Tanto a embaixada de Portugal no Brasil, bem como o consulado português, de Belém tem  têm feito gestões  perante a  Polícia Civil  para que as investigações consigam determinar a autoria do sinistro.  O Ministério Público também passou a acompanhar as investigações. 

Celso, a mulher Vera,  e outro casal foram atropelados na  esquina da Rua São Francisco com a Rua Amazonas, na Nova Imperatriz. Uma Hilux preta, segundo testemunhas,  em alta velocidade   avançou a preferencial e pegou de cheio os casais. O condutor fugiu sem prestar socorro às vítimas.

Horas depois um veículo suspeito foi apreendido.  O dono do  carro  e o  suposto condutor foram ouvidos e negaram  envolvimento no acidente. 

O delegado  Marcelo Fernandes informou na manhã de hoje que as investigações nunca pararam.  Diversas pessoas  já foram ouvidas e até a sexta-feira  tomará o depoimento do policial português.
Pericia- Uma das peças importantes nas investigações é o laudo  do Instituto de Criminalística da  perícia   no suposto veículo envolvido no acidente que por questões operacionais acabou feita com bastante atraso.

“Estamos no aguardo desse documento. Só queremos informar que nossa equipe tem  feito o possível e o impossível para esclarecer o caso”

Compreenda o caso