8/26/2013

Saúde municipal: Tratamaneto da tuberculose em Imperatriz é um dos melhores do Estado.




Secretaria Municipal de Saúde atinge quase 100% de cura em novos casos e supera meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. 

Mais uma vez o município de Imperatriz, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), foi reconhecido pelas ações desenvolvidas no Programa Municipal de Controle da Tuberculose (PMCT). Em Seminário Estadual realizado na cidade de São Luis no início do mês, foram apresentadas as Experiências de Adesão ao Tratamento da Tuberculose, avaliadas como bem sucedidas pelo Ministério da Saúde (MS).

Participaram do evento coordenadores de programas municipais e médicos de vários municípios do Estado. E somente Imperatriz e Caxias foram convidadas para mostrar suas experiências, porque foram consideradas referências no Maranhão devido os resultados alcançados. 

A meta estabelecida pelo MS é 85% para cura de casos novos, e no máximo 5% para abandono de tratamento. Imperatriz superou a meta, atingindo 90,2% de cura em casos novos e teve apenas 2,8% de abandono.

Em decorrência da evolução nestes indicadores, nos dias 10 e 11 de setembro Imperatriz apresentará novamente suas experiências em Brasília no evento “Oficina de estratégias para a adesão ao tratamento da tuberculose”. Para Menildes Paixão, coordenadora do PMCT, o resultado é fruto do apoio que recebe da Secretária de Saúde, Conceição Madeira, que viabiliza todos os recursos necessários para o desenvolvimento das ações.

Durante sua apresentação no seminário ela agradeceu a atuação de SEMUS: “Agradecemos a gestão pelo apoio e confiança em nosso trabalho, a todos os profissionais de saúde envolvidos nesta luta, e a equipe do PMCT que está sempre disposta e comprometida”, relatou a coordenadora explicando que as ações de diagnóstico e tratamento são descentralizadas para a Estratégia de Saúde da Família, visto que dessa forma o paciente encontra-se mais próximo do tratamento.

Segundo ela todo o trabalho é realizado com foco no doente. “Trabalhamos com planejamento e monitoramento, nosso foco é o paciente, e sempre compartilhamos a responsabilidade do tratamento entre o próprio paciente, equipe de saúde e familiares”, informa, destacando que, além disso, a equipe do PMCT faz também visitas domiciliares, entrega de cestas básicas, acompanhamento nutricional, busca ativa de casos em escolas, empresas, unidades de saúde e no presídio (CCPJ); E também, ações educativas e preventivas por meio de palestras e distribuição de material informativo.

Todo o trabalho é realizado com o apoio dos programas DST/AIDS e Consultório na Rua. E também dos órgãos Secretaria de Justiça, SEMED e Regional de Saúde.

A doença

Em todo o planeta, a tuberculose é a quarta causa de morte por doenças infecciosas – perde apenas para septicemia (infecção generalizada), HIV e mal de Chagas. Em 2011, atingiu 8,7 milhões de pessoas e vitimou 1,4 milhão, uma queda de mais de 40% desde 1990, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, um terço da população global está infectada com o bacilo de Koch e corre risco de desenvolver a doença, destaca a OMS.
  
Programas da SEMUS são reconhecidos na gestão do Prefeito Madeira

Diversos programas da Secretaria de Saúde (SEMUS) vêm sendo reconhecidos pelos órgãos estaduais e federais e parabenizados por suas ações. Um exemplo é o Programa de Controle da hanseníase que foi contemplado recentemente com kits para realização de testes rápidos de hanseníase, tornando Imperatriz o primeiro município do Brasil a realizar este exame.  

Outro exemplo é o Programa de Imunização que foi parabenizado pelo Ministério da Saúde (MS) porque Imperatriz é uma das poucas cidades do Maranhão que atinge e avança nas coberturas vacinais. Além disso, o Programa Consultório na Rua foi considerado modelo em Brasília. Durante um evento promovido pelo MS, seus representantes destacaram o programa como referência da região norte e nordeste.

Para o prefeito Madeira, avançar na área da saúde tem sido um dos maiores desafios de sua gestão. “Atendemos diariamente centenas de pessoas de outros municípios e até dos estados vizinhos, com os recursos do Ministério congelados há mais de cinco anos e mesmo assim graças ao esforço de toda nossa equipe temos conseguido avançar nessa área prioritária”.

[Maria Almeida – ASCOM]